close
abr 17, 2020
abr 17, 2020

VALORANT vs. CS:GO: perspectiva de um profissional

Semelhanças entre VALORANT e CS:GO

Diferenças entre VALORANT e CS:GO

É possível aplicar estratégias do CS:GO ao VALORANT?

VALORANT vs. CS:GO

VALORANT vs. CS:GO: perspectiva de um profissional

O VALORANT está entrando na cena dos e-sports e ganhando força, com o potencial de se tornar um título de alto nível. Com tantas perguntas sobre semelhanças e diferenças entre VALORANT e CS:GO, convidamos um ex-jogador profissional de CS:GO para fazer uma análise aprofundada de VALORANT vs. CS:GO.

O entusiasmo em torno do VALORANT, novo jogo de tiro em primeira pessoa da Riot Games, alcançou níveis impressionantes nos últimos tempos. Tive muita sorte de poder jogar durante o período online Alpha e, desde que o Beta fechado foi lançado, descubro mais desse novo jogo a cada dia (até agora, consegui jogar cerca de 100 horas).

Na minha humilde opinião, a meta do VALORANT atualmente compartilha cerca de 90% de seu DNA com o CS:GO

Para aqueles que não me conhecem, sou um ex-jogador profissional de Counter-Strike: Global Offensive. Joguei CS por cerca de vinte anos e o fiz profissionalmente entre 2012 e 2018. Sendo assim, uma das perguntas mais frequentes que surgem é a comparação entre VALORANT e CS:GO.

Para responder, começarei com os conceitos estritamente idênticos compartilhados pelos dois jogos, como a abordagem principal de ataque vs. defesa em jogos de cinco contra cinco. Depois, falarei sobre os fundamentos comuns dos jogos, analisando suas nuances e os detalhes. Basicamente, este artigo mostrará como o VALORANT e o CS:GO parecem diferentes ramificações de uma mesma árvore, o núcleo sendo bastante semelhante, mas certos elementos resultando em diferenças fundamentais.

Semelhanças entre VALORANT e CS:GO

A maneira mais fácil de explicar o VALORANT a um completo novato nos videogames é que se trata de um jogo em equipe no qual dez jogadores se dividem em duas equipes de cinco, em que uma tem o objetivo de plantar uma Spike e/ou eliminar os oponentes para vencer a rodada. A segunda equipe, por sua vez, deve impedir que a Spike seja plantada e/ou eliminar os oponentes.

Agora substitua a palavra "Spike" por "bomba" e esta definição vai se aplicar ao CS:GO de forma idêntica. A base fundamental dos dois jogos é absolutamente idêntica. Isso significa que, para vencer, a maioria dos princípios que foram aprimorados no CS:GO ao longo do tempo também funciona no VALORANT. Coleta de informações é o nome do jogo.

Os jogadores que estão atacando precisam identificar onde os defensores estão posicionados nos bombsites (locais onde as bombas devem ser plantadas), evitar aglomerações da equipe defensora em áreas do mapa (stacks), controlar qualquer tipo de agressão inicial e puni-la. A equipe defensora precisa identificar o mais rápido possível qual bombsite será atacado, a fim de posicionar um número suficiente de jogadores para armar a defesa com eficiência.

Mortes perfeitas, blefes, jogadas furtivas e de contato são bastante frequentes quando tenho a oportunidade de jogar contra equipes fortes. Na minha humilde opinião, a meta do VALORANT atualmente compartilha cerca de 90% de seu DNA com o CS:GO.

Isso pode ser uma consequência do fato de os jogadores do CS:GO ficarem um pouco mais à vontade desde o início e, muitas vezes, assumirem a maior parte do papel principal do jogo em tempo real, moldando os jogos de maneira familiar. Teremos que aguardar para ver como o nível competitivo superior evolui com o tempo.

Diferenças entre VALORANT e CS:GO

Alguns dos elementos compartilhados por ambos os jogos apresentam diferenças pequenas, mas significativas, como armas, mapas, movimentos e economia. Esses itens se encontram em uma área indefinida. Para começar com o armamento, é impossível não encontrar similaridades entre o VALORANT e o CS:GO.

A posição de Operador é comparável à do AWP, enquanto a Vandal é uma arma bastante similar à AK-47; o Phantom é o equivalente ao M4 e a Sheriff é a arma "irmã" da Desert Eagle. Acho que já deu para ter uma ideia. Parece haver um padrão geral comum de dispersão de tiros para cada arma, exatamente como no CS:GO. Os jogos tomam caminhos diferentes quando o VALORANT introduz um elemento aleatório para a dispersão de tiros, começando na sexta ou sétima bala, o que dificulta o controle da pontaria em confrontos entre vários jogadores.

Cada mapa possui um elemento singular que define sua identidade, diferencia-o dos mapas de CS:GO e apresenta um dilema único, embora sua estrutura siga o padrão conhecido usual

A existência de um sistema que inclui uma arma principal (clique esquerdo) e outra secundária (clique direito), com uma taxa de tiro e, às vezes, até danos ou efeitos diferentes, é uma novidade incomum para jogadores de CS:GO. Eu também acrescentaria que o tempo de redefinição, que é o tempo que você precisa esperar entre os tiros para manter a precisão, parece mais longo em VALORANT.

Sobre os mapas, direi simplesmente que cada um tem um elemento singular que define sua identidade, diferencia-o dos mapas de CS:GO e apresenta um dilema único, embora sua estrutura siga o padrão conhecido usual.

O Bind possui dois teleportes unidirecionais, enquanto o Split possui cordas nas quais se pode disparar com precisão e o Haven possui três bombsites. Todas essas características fundamentais são completamente novas para mim e me forçaram a encontrar novas maneiras de pensar em mapas, rotações, configurações, mortes e assim por diante.

A movimentação, em geral, permanece muito próxima da do Counter-Strike, mas um grande ponto de discussão é o diferencial mais significativo entre a movimentação enquanto o personagem está munido de uma faca ou de uma arma. Você vai se sentir mais lento enquanto carrega suas armas, mas será como se estivesse flutuando quando estiver com sua faca; uma velocidade de movimentação muito mais rápida do que no CS:GO. Andar com a faca na mão gera maiores riscos, mas poderá ter um grande impacto em termos da distância que você pode percorrer rapidamente, e isso é algo exclusivo do VALORANT.

Finalmente, a economia gira em torno de um sistema de bônus sobre ganhos e perdas. Você será forçado a jogar "rodadas econômicas" (eco-rounds), assim como no CS:GO, e precisará fazer escolhas quanto ao seu armamento. A diferença única é que, no início da rodada, você pode ver claramente a situação financeira dos seus oponentes enquanto mantém pressionada a tecla TAB. Adivinhar o ciclo econômico e avaliá-lo corretamente durante um jogo de CS:GO é um dos aspectos principais do jogo, algo que simplesmente não existe no VALORANT.

Em vez disso, você deve prever com precisão o armamento que enfrentará com base nas informações disponíveis. Todos esses elementos, como armas, mapas, movimentos e sistema monetário, compartilham de uma identidade básica e mecânica em ambos os jogos, mas cada um deles tem uma "manha" que você precisará dominar enquanto explora o VALORANT.

Outras diferenças significativas entre VALORANT e CS:GO

Para surpresa de ninguém, a separação absoluta entre os dois jogos é a existência de dez agentes. Estes são personagens específicos, com um kit exclusivo de três habilidades e uma habilidade final. Para o estrito jogador purista de Counter-Strike, este é o equivalente simbólico a acordar em Marte e descobrir um novo planeta. Paredes de fogo, veneno ou gelo, terremotos, ressurreições e outras armadilhas têm um impacto tático essencial sobre a jogabilidade.

Se alguém quiser se tornar um jogador completo no VALORANT, será obrigatório aprender a jogar com cada um desses agentes e seus kits completos: recarga, alcance, efeitos e sinergia em potencial.

Para mim, essas habilidades são "utilitários e recursos" que é preciso rastrear, localizar e prever para vencer. Elas adicionam uma nova camada de estratégia. Pessoalmente, perdi as rodadas em que achava que minha equipe tinha completo controle porque me esqueci de levar essas habilidades em consideração. Elas podem mudar completamente a direção do jogo em um instante. Esta é, sem dúvida, a área em que os jogadores do CS:GO terão mais a aprender.

VALORANT vs. CS:GO: considerações finais

Perguntaram-me inúmeras vezes se o VALORANT substituirá o CS:GO. Minha humilde opinião é que isso não acontecerá, não apenas porque o Counter-Strike tem uma das comunidades mais leais de todos os tempos e literalmente tocou várias gerações até hoje, mas porque são dois jogos muito diferentes que podem, e vão, atrair pessoas e gostos diferentes.

Embora compartilhem claramente aspectos centrais e estruturais, os dois jogos são diferentes nos detalhes e coexistirão no futuro. Ambas as comunidades, mesmo que haja uma clara sobreposição em termos de telespectadores, jogadores e outros talentos de transmissão, podem até se beneficiar da competição que o outro título trará para o cenário como um todo. Afinal, todos os fãs do CS:GO esperaram tempo demais para que a Krieg fosse nerfada.

Página inicial de eSports
Leia mais artigos sobre e-sports aqui
  • Tags

Sobre o autor

Mathieu Quiquerez

Now retired from being a professional player for teams including LDLC and Titan, Mathieu “Maniac” Quiquerez has become a widely recognised CS:GO analyst, featuring at events such as ESL One New York and the BLAST Pro Series. Alongside his immense knowledge of the game and its past iterations (having competed in CS:GO, CS: Source and CS 1.6), Mathieu is also the third highest earning Swiss esports player of all time.

Mostrar mais Mostrar menos