jun 9, 2021
jun 9, 2021

Qual é a melhor equipe da história da Euro?

Qual equipe vencedora da Eurocopa foi a melhor?

Alemanha 1996, França 2000 e Espanha 2012

Qual a escalação das melhores equipes do Campeonato Europeu?

Estatísticas e história da Eurocopa

Qual é a melhor equipe da história da Euro?

Antes do início da Euro 2020, a Pinnacle faz uma retrospectiva da história do torneio, avaliando um conjunto de equipes que fizeram por merecer o direito de afirmar serem as melhores da história da competição. Continue lendo para saber mais sobre as melhores equipes da história da Eurocopa.

Alemanha 1996

pt-germany-Greatest-teams-of-all-time-main.jpg

Equipe: Andreas Kopke; Matthias Sammer; Thomas Strunz, Markus Babbel, Thomas Helmer, Christian Ziege; Mehmet Scholl, Dieter Eilts, Thomas Hassler; Jurgen Klinsmann, Stefan Kuntz.

Como esperado de uma seleção alemã extensamente condecorada, os homens de Berti Vogts, campeões da Euro 1996, foram um modelo clínico de eficiência. Eles conseguiram erguer o troféu apesar de não terem vencido nenhuma de suas últimas quatro partidas por mais de um gol graças ao talento da equipe, contando com vários jogadores consagrados e entregando um desempenho superior ao de seus oponentes.

Durante a Euro 1996, a Alemanha implementou pequenos – mas importantes – ajustes táticos, principalmente na final.

A Alemanha se alinhou em uma formação 5-3-2, com uma dependência notável de contra-ataques incisivos. Matthias Sammer foi escalado como volante, responsável por pressionar implacavelmente os adversários, enquanto Thomas Strunz e Christian Ziege dominavam pelas laterais, correndo o campo para iniciar ataques ao lado da dupla dinâmica de goleadores, Jurgen Klinsmann e Stefan Kuntz.

Essa abordagem permitiu que a Alemanha mantivesse uma muralha praticamente intransponível no próprio campo, resultando em apenas três gols de adversários sofridos ao longo de todo o torneio. Vogts adotou pequenos – mas importantes – ajustes táticos durante as partidas, principalmente durante a final, quando substituiu Oliver Bierhoff por Mehmet Scholl, a fim de colocar três atacantes em campo. Bierhoff respondeu marcando tanto o gol de empate quanto o gol de ouro.

A Alemanha esteve em excelente forma ao longo do torneio, liderando o Grupo C sem perder e obtendo vitórias confortáveis contra República Tcheca e Rússia, seguidas de um empate sem gols contra a Itália. Nas quartas-de-final, o time derrotou a Croácia por 2 a 1, apesar de perder Klinsmann, lesionado no primeiro tempo, antes de vencer a Inglaterra nos pênaltis em uma eliminatória icônica durante as semifinais.

Klinsmann se recuperou a tempo de enfrentar a República Tcheca novamente na final, embora tenha sido o heroico Bierhoff quem garantiu o primeiro título da Alemanha no torneio desde 1980. Nas palavras de Sammer, a Alemanha de 1996 "não era bonita de assistir, mas dava conta do recado", e é certamente justo dizer que aquela foi uma equipe impressionante e consistente, contra a qual ninguém gostava de jogar.

França 2000

pt-france-Greatest-teams-of-all-time-main.jpg

Equipe: Fabien Barthez; Lilian Thuram, Marcel Desailly, Laurent Blanc, Bixente Lizarazu; Patrick Vieira, Didier Deschamps; Youri Djorkaeff, Zinedine Zidane, Thierry Henry; Christophe Dugarry.

O triunfo da França na Euro 2000 destacou a importância de uma seleção poder contar com um bom plantel, em vez de apenas depender de 11 titulares talentosos. Roger Lemerre montou uma equipe repleta de inúmeros talentos de classe mundial, incluindo Zinedine Zidane, Thierry Henry, Patrick Vieira e Marcel Desailly, mas foram os reservas Sylvain Wiltord e David Trezeguet que deixaram sua marca na história do futebol francês ao saírem do banco para marcar os dois gols dos Les Bleus na final.

A seleção francesa da Euro 2000 foi amplamente elogiada por sempre encontrar uma maneira de vencer.

Lemerre alinhou a França em um 4-2-3-1, uma formação que contava com fisicalidade e talento individual em igual medida. Henry utilizava seu ritmo e habilidades impressionantes para perturbar as defesas à esquerda do campo, enquanto Zidane jogava recuado atrás do atacante, com a liberdade criativa para criar oportunidades constantes para seus companheiros de equipe. Enquanto isso, a presença de Vieira e Desailly garantia que qualquer jogador adversário que recebesse a bola no meio-campo francês tivesse que contar os segundos antes de ser atacado impiedosamente pela defesa.

A França convocou um time praticamente igual ao que conquistou a Copa do Mundo dois anos antes, mas as expectativas pré-torneio questionavam a capacidade da equipe de repetir o sucesso sem a vantagem de jogar em casa. A seleção provou seu valor ao se qualificar de um grupo complicado, incluindo República Tcheca, Dinamarca e Holanda, com pelo menos dois gols em cada partida.

A jornada dos franceses para a final foi igualmente repleta de adversários desafiadores. Eles venceram a Espanha por 2 a 1 nas quartas-de-final, e um gol de ouro de Zidane no final da prorrogação garantiu a vitória sobre a seleção de Portugal nas semifinais. A Itália esperava por eles na final e, quando Marco Delvecchio abriu o placar aos 55 minutos, Lemerre apelou para as habilidades de Wiltord e Trezeguet.

Wiltord levou a partida para a prorrogação com um empate aos 94 minutos, antes de Trezeguet marcar o gol de ouro para garantir o título da França. A final mostrou como a equipe de Lemerre contava com uma combinação intimidante de imensa habilidade e resiliência mental, sempre encontrando um caminho para a vitória, exigindo que os oponentes se mantivessem atentos e não baixassem a guarda em absolutamente nenhum momento.

Espanha 2012

pt-spain-Greatest-teams-of-all-time-main.jpg

Equipe: Iker Casillas; Alvaro Arbeloa, Sergio Ramos, Gerard Pique, Jordi Alba; Xabi Alonso, Sergio Busquets, Xavi; David Silva, Cesc Fabregas, Andres Iniesta.

A Espanha chegou à Euro 2012 como campeã em título e figurando entre as seleções favoritas do mercado. Durante o torneio, a equipe atingiu o ápice de sua famosa e respeitada estratégia de tiki-taka.

Com um ataque composto principalmente por um Fernando Torres fora de forma, além de outros jogadores pouco experientes a nível internacional, o técnico Vicente del Bosque escalou Cesc Fabregas para atuar como um falso camisa nove, enquanto a seleção tentava controlar a posse de bola em cada partida com uma superioridade implacável. Essa decisão se provou um golpe de mestre tático, com Fabregas auxiliando Andres Iniesta e David Silva para a composição de uma defesa poderosa combinando astúcia e talento.

A vitória da Espanha por 4 a 0 sobre a Itália na Euro 2012 continua sendo a maior margem de vitória já conquistada em uma final do torneio.

A Espanha abriu o torneio com um empate em 1 a 1 com os italianos, seguido por uma goleada por 4 a 0 contra a Irlanda em uma partida na qual a equipe acumulou 26 chutes a gol e 929 passes. Uma vitória por 1 a 0 sobre a Croácia confirmou a seleção nas quartas de final, abrindo caminho para a eliminação da França por 2 a 0.

Nas semifinais, Portugal enfrentou seu teste mais difícil em um confronto tipicamente desconexo e agressivo entre os dois vizinhos. Depois de 120 minutos sem gols, a Espanha finalmente triunfou nos pênaltis, provando que mesmo as melhores equipes do torneio ocasionalmente precisam confiar na sorte.

Podemos argumentar que eles deixaram o melhor para o final – no caso, a final. Na final, os espanhóis mais uma vez ficaram frente a frente com a Itália, só que desta vez o processo foi consideravelmente mais unilateral, com a Espanha vencendo merecidamente por 4 a 0 depois de uma exibição dominante. David Silva e Jordi Alba estabeleceram a liderança no primeiro tempo, enquanto os reservas Fernando Torres e Juan Mata marcaram gols no final do jogo para garantir aquela que continua sendo a maior margem de vitória em qualquer final de um Campeonato Europeu.

A Euro 2012 encerrou um dos períodos mais dominantes que qualquer equipe já desfrutou no futebol internacional e, notavelmente, a Espanha não conseguiu passar das oitavas de final em um grande torneio desde então. A inclusão da Espanha nesta lista é indiscutivelmente merecida exclusivamente pelo fato de que talvez nunca tenha havido uma equipe contra a qual seria mais difícil marcar gols ou mesmo manter a posse de bola.

Leia também as nossas previsões para a Euro 2020 e prévias para todos os seis grupos do torneio: Grupo A, Grupo B, Grupo C, Grupo D, Grupo E, Grupo F.

Ansioso pelo início da Euro 2020? Ganhe do seu jeito com a ajuda das probabilidades mais recentes para a Euro 2020 em mercados de apostas futuras, em cada partida, grupos e muito mais com a Pinnacle.

Recursos de apostas - Capacitar as suas apostas

Os Recursos de apostas da Pinnacle são um dos conjuntos mais abrangentes de conselhos de especialistas sobre apostas que se podem encontrar online. Dar resposta a todos os níveis de experiência - o nosso objetivo é simplesmente capacitar os apostadores a obterem mais conhecimentos.