Semana passada
jun 10, 2021

Prévia para apostas futuras na Copa América 2021

Tudo o que você precisa saber sobre a Copa América 2021

Favoritos e probabilidades para a Copa América 2021

Apostas futuras na Copa América 2021: quais equipes podem surpreender?

Prévia de apostas, programação, equipes e anfitriões da Copa América 2021

Prévia para apostas futuras na Copa América 2021

Depois de um período conturbado, com adiamentos e mudanças tardias de anfitrião, as estrelas do futebol sul-americano finalmente estão prontas para se enfrentar na Copa América deste ano, que começa no Brasil em 13 de junho. O Brasil conseguirá defender o título com sucesso, a Argentina conquistará sua primeira vitória desde 1993 ou será a vez de outros países, como Colômbia ou Chile, surpreenderem e levarem o título? Continue lendo para fazer uma previsão informada para apostas futuras na Copa América.

inarticle-21k-giveaway-inarticle-pt.jpg

Programação da Copa América 2021

A Copa América deste ano começa em 13 de junho com Brasil x Venezuela no Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília, e termina em 10 de julho, com a grande final acontecendo no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro. O torneio será composto por 28 partidas ao longo de 28 dias.

  • De 13 a 28 de junho de 2021: fase de grupos
  • 2 e 3 de julho de 2021: quartas de final
  • 5 e 6 de junho de 2021: semifinais
  • 10 de julho de 2021: final

Equipes participantes da Copa América 2021

Inicialmente, 12 equipes estavam previstas para competir na Copa América 2021, sendo reduzidas a 10 depois que Austrália e Catar se retiraram devido a problemas com as datas. As 10 equipes competirão em dois grupos de cinco, com as quatro primeiras colocadas de ambos os grupos avançando para as quartas de final.

A partir desse ponto, o torneio passa para o formato de chave de eliminação. Se o placar estiver empatado após 90 minutos, a partida será decidida por pênaltis nas quartas de final e prorrogação, seguida de pênaltis nas semifinais e na final.

Grupo

Equipes

Grupo A

Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai, Uruguai

Grupo B

Brasil, Colômbia, Equador, Peru, Venezuela

Estádios sede da Copa América 2021

Originalmente, a Copa América deste ano seria realizada em conjunto por Argentina e Colômbia. Em 20 de maio, a Colômbia foi removida como co-anfitriã por causa da onda atual de protestos contra o governo no país e, 10 dias depois, a Argentina foi destituída de direitos de país sede em meio a preocupações com o aumento de casos de covid-19.

Em 31 de maio, a CONEMBOL anunciou que o Brasil sediaria o torneio, com todas as 28 partidas ocorrendo em apenas cinco estádios:

Estádio

Capacidade

Arena Pantanal, Cuiabá

41.112

Estádio Nacional Mané Garrincha, Brasília

72.788

Estádio Olímpico Nilton Santos, Rio de Janeiro

46.931

Estádio Olímpico Pedro Ludovico, Goiânia

13.500

Maracanã, Rio de Janeiro

78.838

Quem vencerá a Copa América 2021?

Equipe

Probabilidades

Classificação mundial da FIFA (maio de 2021)

Desempenho na Copa América 2019

Brasil

2,160*

Vencedor

Argentina

3,570*

Semifinais

Colômbia

7,760*

15º

Quartas de final

Uruguai

8,800*

Quartas de final

Chile

13,650*

19º

Semifinais

Paraguai

36,890*

35º

Quartas de final

Equador

44,850*

53º

Fase de grupos

Peru

44,850*

27º

Vice-campeão

Venezuela

68,000*

30º

Quartas de final

Bolívia

177,880*

81º

Fase de grupos

O Brasil (2,160 *) é o atual campeão e talvez consiga apresentar uma escalação melhor do que a que ergueu o troféu há dois anos, graças à participação de Neymar, que ficou de fora da Copa América de 2019 devido a uma lesão. A equipe de Tite perdeu apenas duas partidas desde a conquista do título das Américas e começou sua campanha de qualificação para a Copa do Mundo de 2022 de forma impressionante, vencendo todas as cinco primeiras partidas disputadas e mantendo uma média de pouco menos de três gols por jogo.

A indiscutível falta de profundidade do elenco colombiano pode destruir os sonhos da seleção.

Neymar chega para completar um ataque já formidável, com nomes como Gabriel Jesus, Roberto Firmino e Vinicius Jr., enquanto Alisson, Thiago Silva e Marquinhos garantem a estabilidade defensiva. Pode-se argumentar que há espaço para melhorias no meio-campo, mas o fato é que o Brasil é uma equipe altamente intimidadora e que parece totalmente capaz de superar qualquer adversário. Neste cenário, qualquer coisa além de títulos consecutivos seria potencialmente considerado uma decepção, especialmente agora, que o país foi confirmado como a sede desta edição do evento.

Recentemente, a Copa América tem sido uma fonte consistente de desgosto para a Argentina (3.570*), que amargou o vice-campeonato em quatro das últimas seis edições do torneio. Embora tenham perdido o status de favoritos ao título desde que a mudança de sede do torneio foi anunciada, o mercado de apostas ainda sugere que os argentinos contam com chances encorajadoras de conquistar o título pela primeira vez em 28 anos.

A equipe conta com talentos reconhecidos, mas, como de costume, as chances da seleção provavelmente dependerão do desempenho de Lionel Messi. O capitão já comprovou sua habilidade de levar o país praticamente sozinho ao longo do torneio, embora suas últimas cinco partidas pela Argentina tenham rendido apenas dois gols de pênalti. Com um meio-campo incluindo a dupla de estrelas do PSG Angel Di Maria e Leandro Paredes, além de Giovani Lo Celso, a equipe certamente tentará controlar a bola ao máximo e, apesar de não terem vencido o torneio no mesmo período, perderam apenas três jogos no tempo regulamentar (90 minutos) pela Copa América desde 2007.

A eliminação da Colômbia (7,760*) nas quartas de final em 2019 foi considerada decepcionante por muitos. O elenco colombiano é composto por diversos jogadores de muito talento, mas que já passaram do auge, para quem esta edição do torneio pode ser a última oportunidade de conquistas a nível internacional. É a combinação de habilidade e fisicalidade que os torna um adversário intrinsecamente complicado, embora as derrotas pesadas sofridas para Uruguai e Equador no final de 2020 – e que culminaram na demissão de Carlos Queiroz –, sejam uma prova contundente de que a equipe pode ser superada.

Reinaldo Rueda, não terá muito tempo para trabalhar com o grupo antes do torneio, e não seria surpreendente se eles dependessem mais de proezas individuais do que de habilidade tática. Diante da ausência de James Rodriguez, que segue lesionado, jogadores como Juan Cuadrado e Duvan Zapata ajudam a compor um grupo forte de titulares, mas falta de profundidade do restante do elenco pode se provar uma fraqueza insuperável.

O Uruguai (8.800 *) se encontra em situação semelhante. Embora um elenco incluindo Luis Suarez, Edinson Cavani, Diego Godin e Martin Caceres poderia estar entre os favoritos em qualquer torneio, esses jogadores estão agora com 34 anos ou mais e seus resultados inconsistentes retratam uma equipe próxima ao final de uma era. Embora o Uruguai ainda seja uma das seleções mais fortes do continente, vem sofrendo recentemente na Copa América e não conseguiu passar das quartas-de-final desde que conquistou o título do torneio em 2011.

O Chile (13,650 *) deu início a uma transição, e atualmente passa pelo processo de construção de uma equipe voltada para o sucesso futuro, guiada por estrelas jovens e emergentes. No entanto, seus títulos consecutivos em 2015 e 2016 enfatizam a capacidade da seleção de superar expectativas na competição, e eles podem considerar suas chances de terminar entre os dois primeiros no Grupo A.

Embora Alexis Sanchez e Arturo Vidal sejam jogadores poderosos, sua equipe sofre de uma falta potencialmente preocupante de goleadores comprovados a nível internacional.

Apostas futuras na Copa América 2021: quais equipes podem surpreender?

O Paraguai (36,890 *) se classificou na fase de grupos por uma margem mínima em 2019 e, apesar de não ter vencido um único jogo, levou o Brasil aos pênaltis nas quartas-de-final. Um empate recente com o Uruguai ampliou sua série invicta para sete partidas, reforçando que a equipe pode, mais uma vez, se provar um adversário frustrante na fase de mata-mata.

Quando em forma, a seleção peruana é uma muralha defensiva.

O mercado de apostas aponta para o Equador (44,850 *) como os grandes azarões, que devem terminar no último lugar do Grupo B, como fizeram ao somar um único ponto em 2019. No entanto, eles recentemente começaram sua campanha de qualificação para a Copa do Mundo de 2022 com três vitórias em cinco jogos, incluindo uma goleada por 6 a 1 sobre a Colômbia, e contam com uma série de jovens talentos no meio-campo, incluindo Gonzalo Plata, do Sporting de Lisboa e Moises Caicedo, do Brighton

O Peru (44,850 *) tem estado inconsistente desde que foi finalista surpresa há dois anos, demonstrando sua capacidade de enfrentar times supostamente melhores ao cravar uma vitória por 1 a 0 sobre o Brasil em setembro de 2019, mas também perdendo três eliminatórias consecutivas para a Copa do Mundo no final de 2020. Quando em forma, eles são defensivamente resistentes e podem contar com a experiência do atacante Jefferson Farfan, de 36 anos, para conquistar bons resultados. Eles não devem encontrar dificuldades significativas para progredir em seu grupo e um oponente favorável nas quartas de final pode significar que uma colocação entre os quatro qualificados é mais do que plausível.

Leia também as nossas prévias para os dois grupos da Copa América 2021: Grupo A e Grupo B.

Ansioso pela Copa América deste ano? Ganhe do seu jeito com a ajuda das probabilidades mais recentes para a Copa América 2021 em cada partida e grupo, em mercados de apostas futuras, e muito mais, com a Pinnacle.

Probabilidades sujeitas a alteração

Recursos de apostas - Capacitar as suas apostas

Os Recursos de apostas da Pinnacle são um dos conjuntos mais abrangentes de conselhos de especialistas sobre apostas que se podem encontrar online. Dar resposta a todos os níveis de experiência - o nosso objetivo é simplesmente capacitar os apostadores a obterem mais conhecimentos.