mai 4, 2020
mai 4, 2020

Comparando eventos dos Grand Slams e da ATP no tênis (Parte 1)

Diferenças estruturais entre eventos dos Grand Slams e da ATP Tour

Como isso afeta o ranking dos 10 melhores da ATP?

O impacto das incompatibilidades nos Grand Slams

Dados, estatísticas e insights do tênis

Comparando eventos dos Grand Slams e da ATP no tênis (Parte 1)

Um componente importante das apostas no tênis é entender a diferença entre as partidas de três sets que ocorrem nos eventos regulares da ATP Tour e as partidas de cinco sets disputadas em Grand Slams. No primeiro artigo de uma série de duas partes, Dan Weston analisa as variações entre os dois e como isso pode afetar o desempenho do jogador e, portanto, das apostas no tênis.

Diferenças estruturais entre eventos dos Grand Slams e da ATP

A primeira parte deste estudo analisará como os Grand Slams diferem em termos de jogos por set, totais gerais e placares dos sets, enquanto o segundo artigo dará um foco especial aos dez principais jogadores da ATP com o objetivo de avaliar o desempenho deles em vários tipos de torneios.

As partidas da rodada de abertura em um Grand Slam provavelmente apresentarão diferenças consideráveis de qualidade e habilidade.

Uma clara discrepância entre torneios de Grand Slam, que contam com cinco sets, e eventos da ATP, que têm três sets, é o padrão de oposição nas rodadas de abertura, e o sistema de classificação em Grand Slams é o principal fator contribuinte para isso. Os 32 melhores jogadores classificados não conseguem se enfrentar na rodada de abertura e, portanto, todos enfrentam jogadores fora da lista dos 32 melhores.

Embora ainda exista uma oposição formidável entre o último grupo, como os melhores jogadores se recuperando de lesões e a ascensão de futuras estrelas, em geral, os 32 melhores jogadores terão uma vantagem considerável sobre os adversários da rodada de abertura. Mesmo após a primeira rodada, o sistema de classificação é estruturado de forma que os melhores jogadores não possam se enfrentar até as últimas rodadas de um Grand Slam.

Este não é o caso dos eventos da ATP. Nos torneios Masters 1000, os melhores jogadores geralmente recebem uma dispensa inicial (bye) e entram na rodada de 64, portanto, precisam enfrentar um jogador que já venceu uma partida, enquanto que, em torneios de 500 níveis, muitas vezes não há dispensa de jogadores. Em torneios de 250 níveis, os quatro melhores jogadores geralmente são dispensados das primeiras rodadas de abertura.

Basicamente, isso significa que as partidas da rodada de abertura no Grand Slam provavelmente apresentarão diferenças consideráveis de qualidade e habilidade, enquanto isso ocorre com menos frequência no Masters (no qual os melhores jogadores também recebem uma dispensa na primeira rodada) e nos torneios de 250 níveis. Essas incompatibilidades no início do torneio são exacerbadas pelo fato de serem disputadas segundo o modelo de melhor de cinco sets, em vez de três – na maioria dos esportes, os formatos mais curtos geralmente resultam em menos vantagens para jogadores "melhores".

Como isso afeta o ranking dos 10 melhores da ATP?

Uma comparação entre a porcentagem média de vitórias implícita nas linhas de fechamento dos dez melhores jogadores atuais da ATP na rodada de abertura das partidas do Grand Slam e de outros torneios a partir do início de 2019 parece apoiar esse argumento:

Jogador

Porcentagem média de vitórias implícita na linha de fechamento das partidas da rodada de abertura do Grand Slam

Porcentagem média de vitórias implícita na linha de fechamento das partidas da rodada de abertura em outros torneios

Diferença

Novak Djokovic

96,91%

92,96%

3,95%

Rafael Nadal

97,30%

92,84%

4,46%

Dominic Thiem

80,38%

77,04%

3,34%

Roger Federer

95,92%

92,01%

3,91%

Daniil Medvedev

89,72%

73,91%

15,81%

Stefanos Tsitsipas

83,59%

76,55%

7,04%

Alexander Zverev

82,15%

77,78%

4,37%

Matteo Berrettini

65,90%

59,62%

6,28%

Gael Monfils

79,43%

69,61%

9,82%

David Goffin

88,88%

65,34%

23,54%

Como você pode ver, todos os dez jogadores que estão entre os 10 melhores da ATP atualmente mantiveram uma porcentagem implícita maior de vitórias na linha de fechamento na rodada de abertura dos eventos de Grand Slam do que nos outros torneios em que competiram durante esse período. Daniil Medvedev e David Goffin chegaram a apresentar uma margem de diferença de 15% nesse início.

Esses números parecem indicar que o formato dos Grand Slams favorece os jogadores com melhor classificação. É muito improvável que eles enfrentem oponentes à altura do seu nível de habilidade nas rodadas iniciais e o formato de cinco sets produz menos embates. Portanto, não é de surpreender que os dez melhores jogadores tenham uma chance implícita maior de vencer sua primeira partida em Grand Slams do que em eventos de nível inferior da ATP.

O impacto das incompatibilidades nos Grand Slams

Isso também ocorre devido às discrepâncias nas estatísticas entre os jogos da quarta rodada (fase em que restam 16 jogadores) nos torneios de Grand Slam e nas partidas anteriores a essa etapa.

Os torneios de três sets da ATP envolvem mais competitividade e menos incompatibilidades nas rodadas de abertura.

Nos torneios de Grand Slam de 2017 a 2019, as partidas da quarta rodada em diante tiveram 3,69 sets por partida, em comparação com 3,61 em jogos anteriores a esta etapa. Os sets em si também foram mais disputados, apresentando uma média de 0,21 tie-breaks por set e 0,77 por partida em comparação com 0,18 e 0,64, respectivamente, em jogos anteriores.

Tudo isso evidencia que as primeiras rodadas nos torneios de Grand Slam apresentam incompatibilidades absurdas e podem ser tratadas como dispensas virtuais para jogadores como Novak Djokovic, Rafael Nadal e Roger Federer.

Por outro lado, os torneios de três sets da ATP envolvem mais competitividade e menos incompatibilidades nas rodadas de abertura, o que gera resultados mais acirrados. Isso é indicado pelo fato de que esses jogos apresentam um total mais alto de tie-breaks por set de 0,20 em todas as rodadas, em comparação com apenas 0,18 nos Grand Slams.

Na segunda parte desta série, Dan continuará analisando os dez melhores jogadores da ATP na atualidade, observando seus dados subjacentes em torneios de Grand Slam em comparação com os eventos de três sets da ATP.

Recursos de apostas - Capacitar as suas apostas

Os Recursos de apostas da Pinnacle são um dos conjuntos mais abrangentes de conselhos de especialistas sobre apostas que se podem encontrar online. Dar resposta a todos os níveis de experiência - o nosso objetivo é simplesmente capacitar os apostadores a obterem mais conhecimentos.