jan 13, 2022
jan 13, 2022

A prévia de Mats Wilander para o Aberto da Austrália 2022

Quem são os favoritos para vencer o Aberto da Austrália 2022?

O que é preciso para ter sucesso?

Quais jogadores podem surpreender?

Probabilidades e estatísticas para o Aberto da Austrália 2022

A prévia de Mats Wilander para o Aberto da Austrália 2022

Antes do início do Aberto da Austrália deste ano, o sete vezes vencedor do Grand Slam, Mats Wilander, analisa o primeiro Grand Slam de tênis de 2022, destacando os jogadores nos quais ficar de olho no Melbourne Park. Continue lendo para se informar e fazer suas previsões para o Aberto da Austrália 2022.

Confira a prévia exclusiva de Mats Wilander para o Aberto da Austrália 2022

O primeiro evento de tênis do Grand Slam da temporada foi alvo de muita polêmica mesmo antes que qualquer bola fosse atingida, com a notícia de que Novak Djokovic pode não conseguir defender sua coroa do Aberto da Austrália devido à uma disputa em andamento sobre o fato de que a estrela não recebeu as vacinas contra covid-19 e seu pedido de visto pode, potencialmente, ser revogado.

A associação profissional de tênis masculino, a ATP, descreveu a situação como "prejudicial em todos os aspectos". O tenista sérvio ainda não sabe se poderá competir na competição, que começa em 17 de janeiro.

Neste artigo, o três vezes vencedor do Aberto da Austrália e embaixador da Pinnacle Mats Wilander faz uma análise dos torneios masculino e feminino.

Djokovic entrará em quadra no Melbourne Park?

Em primeiro lugar, como não abordar o acontecimento mais importante do tênis mundial na atualidade? Houve uma falha de comunicação em algum ponto ao longo do caminho, e Djokovic foi de alguma forma levado a acreditar que tinha toda a documentação necessária para participar do Aberto da Austrália – e então chegou à Austrália para descobrir que não.

É nesse ponto que estamos atualmente, com o governo australiano aparentemente ainda tentando deportar o jogador, uma situação definitivamente desconfortável para Djokovic. Ele mal conseguiu treinar, e a espera certamente será um desafio mental, mas o campeão está disposto a suportar isso porque acredita que tem uma chance e o direito de participar do campeonato.

Ele tem mostrando muita garra e lutado incansavelmente até o momento. No entanto, isso suja a imagem do jogo, da superestrela internacional e também da Austrália. Espero ver Djokovic defender seu título na quadra, mas o problema agora é política, falta de comunicação e a nova realidade das nossas vidas com a Covid.

Ele venceu nove vezes na Austrália, e nove títulos do Aberto da Austrália comprovam que a preparação dele na pré-temporada é realmente sólida, todos os anos. É preciso saber o que você está fazendo em novembro e dezembro para se preparar para o torneio. Isso também significa que você, como tenista, não precisa de muitas partidas para ganhar confiança e se tornar um adversário difícil de enfrentar. Fisicamente, não imagino que esta situação fará diferença para Novak. Por outro lado, emocionalmente, é possível que ele termine com pensamentos como: "quero me vingar do governo australiano" ou "preciso me vingar de todo mundo"? Pergunto isso porque, se for esse o caso, Djokovic pode estar avançando por uma estrada perigosa.

Quem vencerá o torneio masculino?

Acredito que um dos favoritos do torneio seja Daniil Medvedev (2,520*), que venceu o US Open no ano passado, derrotando Djokovic em três sets seguidos na final. Medvedev também chegou à final no ano passado, perdendo para Djokovic em três sets seguidos, o que dá a ele a experiência de ter estado muito próximo do título. À primeira vista, tudo favorece o russo, que deve ser o favorito para vencer o torneio, mesmo que Djokovic (2,800*) consiga jogar. Ambos provavelmente estão no mesmo nível, mas imagino que Medvedev superaria o sérvio devido à preparação extra que conseguiu nesta semana.

A seguir, temos todo um pelotão de outros jogadores que inclui grandes nomes como Alexander Zverev (3,690*) e Stefanos Tsitsipas (18,010*). Zverev chega para o torneio depois de superar Djokovic e Medvedev e vencer as finais do ATP World Tour em novembro. O alemão certamente se sentirá confiante, especialmente com a sua porcentagem de 82% de vitórias em quadras duras em 2021.

"Zverev chega para o torneio depois de superar Djokovic e Medvedev."

Rafael Nadal (8,860*) está no mesmo grupo. Ele está tão bem fisicamente quanto se poderia desejar. Não significa que ele não tenha uma ou outra pequena lesão, mas essa é a realidade de todos os tenistas. No final, somos todos humanos; nunca alcançaremos a perfeição. Devo dizer que estou muito feliz por Nadal ter decidido disputar o Aberto da Austrália. Eu temia que ele pudesse ter se aposentado junto com Roger Federer, mas sua presença na Austrália, principalmente com essa condição física, demonstra que ele ainda não está pronto para abandonar sua carreira no tênis.

A conquista do Melbourne Summer Set no início do mês foi uma preparação fantástica para Nadal antes do Grand Slam. Ele obviamente se livrou da ferrugem e voltou a fazer o que faz de melhor. Mais do que em busca de outro Grand Slam, o espanhol está perseguindo aquela sensação viciante de entrar em quadra diante do público. Vale lembrar que o público estava restrito a 30-50% no ano passado, mas não teremos restrições este ano (embora todos os espectadores precisem estar totalmente vacinados).

Veremos um novo nome no pódio do torneio masculino?

A vitória de Emma Raducanu no US Open foi uma história absolutamente incrível e simplesmente fantástica para o tênis mundial (e britânico, em particular), mas o principal fator impedindo um potencial "azarão" de vencer o torneio masculino do Aberto da Austrália, como ela fez nos EUA, – mesmo com Nadal envelhecido e, potencialmente, sem Djokovic – é a duração das partidas.

Para vencer, um jogador deve jogar tênis de alto nível consistentemente por sete partidas seguidas. E algumas dessas partidas podem chegar a cinco sets. Isso é muito difícil porque, quanto mais tempo você joga, menor a chance de jogar um tênis perfeito. Quero dizer, Raducanu jogou um tênis praticamente perfeito desde a primeira partida nas eliminatórias até a final nos EUA.  

Uma campanha como essa não funciona no jogo masculino, com os caras sacando forte e a qualidade de um profissional experiente tende a brilhar em partidas que podem durar 4 ou 5 horas!  

Posso prever com confiança que um dos 25 melhores jogadores do mundo vencerá em Melbourne, e não será um completo desconhecido com 18 anos. No entanto, gosto muito de Carlos Alcaraz (32,840*) que, apesar de ser um adolescente, é um veterano experiente em muitos aspectos. Ele venceu Stefanos Tsitsipas na primeira rodada do US Open, o que foi um feito gigantesco, e ganhou alguns torneios desde então. Acredito que ele possa chegar longe no torneio. 

O torneio feminino está completamente indefinido

Minha opinião é de que o torneio feminino possa ser vencido por praticamente qualquer tenista. Em contraste com os participantes do torneio masculino, a virada do ano pode ser um recomeço para muitas jogadoras. De fato, em contraste com os homens, quatro das últimas 10 vencedoras do Aberto da Austrália também estavam comemorando seu primeiro título de Grand Slam das suas carreiras. As únicas jogadoras que entrarão em quadra realmente confiantes serão aquelas que venceram vários Majors no passado.

Alguém como Ashleigh Barty (3,880*) se sentirá assim porque é a número um do mundo e já ganhou dois Grand Slams. Ela estará jogando em casa e lida com uma pressão avassaladora nos últimos seis/sete anos, mas também é verdade que a australiana nunca conseguiu se sair bem em um Aussie Open – seu melhor resultado até agora foi uma campanha que chegou às semifinais. Ela é definitivamente a minha favorita. Com o público torcendo em massa por ela em casa, isso deve fazer toda a diferença. 

"Osaka e Barty são as candidatas mais promissoras ao título, e as probabilidades concordam"

Naomi Osaka (6,920*) faturou dois dos últimos três Abertos da Austrália – uma experiência muito respeitável. Não vemos uma jogadora como ela desde Serena Williams. Para mim, Osaka e Barty são as favoritas, e as probabilidades concordam. Ela sofreu uma lesão abdominal que a manteve fora do torneio de aquecimento em Melbourne e não sabemos como está mentalmente, mas seu talento é indiscutível.

O estado físico de um jogador é fundamental em qualquer Major, mas seu estado emocional é ainda mais importante. Os jogadores precisam ser capazes de abandonar qualquer bagagem emocional que estejam carregando, caso contrário, ela pode se tornar um peso a ser carregado o ano todo. O Aberto da Austrália pode ser aquele quadro em branco de que muitos jogadores precisam, por ser o primeiro grande torneio da temporada, e tudo o que aconteceu no ano anterior pode ser colocado de lado.

Pense em Aryna Sabalenka (14,010*), por exemplo. A derrota no US Open do ano passado foi uma grande decepção para ela. Ela chegou às semifinais como a jogadora mais bem classificada, e todos acreditavam que iria vencer. Era a sua chance de garantir o título, mas ela não conseguiu. É verdade que a bielorrussa se deparou com Leylah Fernandez, que fez uma partida inacreditável e tinha a torcida a seu favor. Ainda assim, foi um golpe esmagador para Sabalenka. Imagino que o Aberto da Austrália será uma oportunidade para ela recomeçar. A superfície é perfeita para o jogo dela (na verdade, ela joga bem em qualquer superfície) e, se conseguir lidar com o lado emocional e a pressão dessa grande ocasião, acredito que ela fará uma ótima campanha.

Aryna está sempre se esforçando para jogar seu melhor tênis e, quando isso não dá certo, ela tenta jogar um tênis ainda melhor. Ela precisa aprender como ganhar um Major e a aceitar que nem sempre é preciso uma vitória eloquente; podem ser aqueles pontos duros e difíceis que levam você além e em direção à vitória. Uma vitória em um jogo feio ainda é uma vitória! Não force tanto, cometa menos erros e chame o adversário para a luta. Isso é tudo que você tem que fazer como tenista. “Somos só nós dois. Sou melhor que você. E vou ganhar.” Essa é a mentalidade de um campeão.

Confira uma lista completa das probabilidades para o Aberto da Austrália aqui.

Probabilidades sujeitas a alteração

Recursos de apostas - Capacitar as suas apostas

Os Recursos de apostas da Pinnacle são um dos conjuntos mais abrangentes de conselhos de especialistas sobre apostas que se podem encontrar online. Dar resposta a todos os níveis de experiência - o nosso objetivo é simplesmente capacitar os apostadores a obterem mais conhecimentos.