abr 24, 2019
abr 24, 2019

Que tenistas têm um desempenho melhor em piso rápido?

Como é o desempenho de determinados estilos de jogo em condições rápidas

Estratégias de apostas com base nas condições do court

Qual é o court de terra batida mais rápido do ATP Tour?

Como avaliar se um tenista está orientado para o serviço ou para o retorno

Que tenistas têm um desempenho melhor em piso rápido?

Com a principal época em terra batida em pleno andamento, mas ainda a alguns meses do início da época em courts de relva, o calendário do ténis testemunhará uma mudança dos pisos habitualmente mais lentos para os mais rápidos. Dan Weston, o nosso especialista residente, analisa algumas estratégias de apostas com base na dinâmica dos jogadores e nas condições esperadas.

Este será o primeiro de uma série de dois artigos sobre estratégia de apostas que avalia se a dinâmica de determinados tenistas sairá beneficiada das velocidades específicas dos courts e das condições em geral. Para começar, este primeiro artigo analisa como é o desempenho de determinados estilos de jogo em condições de piso rápido, e se este aspeto é devidamente levado em consideração pelos mercados.

Estratégia de apostas no ténis em piso rápido

Ao investigar para este artigo, a primeira prioridade era analisar as condições históricas dos eventos atuais, a fim de estabelecer que courts têm maior probabilidade de apresentar as condições mais rápidas no futuro.

Havia 14 locais no tour com percentagens de pontos de serviço ganhos em três anos de 65,2% ou mais, o que é um número importante – dado que se situa 1,5% acima dos pontos de serviço ganhos em média e na generalidade.

Madrid é estatisticamente o court de terra batida mais rápido do ATP Tour

Destes, cinco eram courts de relva - como seria de esperar - enquanto havia outros três courts interiores de piso duro (Nova Iorque, Paris e Marselha), cinco courts exteriores de piso duro (Atlanta, Auckland, Xangai, Cincinnati e Brisbane); ligeiramente menos previsível foi o facto de este filtro incluir um local de terra batida - Madrid, que é jogado a alguma altitude e é estatisticamente o court de terra batida mais rápido do ATP Tour.

Tendo descoberto que courts no tour se têm mostrado historicamente como os mais rápidos, podemos depois avaliar como a dinâmica de determinados tenistas afeta o seu desempenho nestas condições.

Aqui, há várias opções para descobrir se um tenista está orientado para o serviço ou para o retorno - quer utilizando uma percentagem básica de pontos de serviço ganhos, ou utilizando a diferença entre as suas percentagens de pontos de serviço e pontos de retorno ganhos.

As duas tabelas abaixo ilustram o desempenho dos tenistas orientados para o serviço apresentados entre 1 de janeiro de 2016 e 23 de abril de 2019, utilizando em todas as apostas uma parada constante hipotética de 100 GBP:

Filtro um: Melhores 10 jogadores com pontos de serviço ganhos

Filtro um: Melhores 10 jogadores com pontos de serviço ganhos

Tenista

Desempenho em piso rápido, 2016+

Desempenho em piso rápido, 2016+

Desempenho em piso rápido, 2016+

Partidas

Lucros/Perdas

ROI

Isner

63

346

5,49

Karlovic

32

-336

-10,50

Raonic

63

427

6,78

Federer

47

-65

-1,38

Kyrgios

59

276

4,68

Opelka

18

883

49,06

Anderson

44

686

15,59

Tsonga

36

-285

-7,92

Cilic

65

907

13,95

Querrey

54

3503

64,87

Filtro dois: Melhores 10 jogadores com a maior diferença entre pontos de serviço ganhos e pontos de retorno ganhos

Filtro dois: Melhores 10 jogadores com a maior diferença entre pontos de serviço ganhos e pontos de retorno ganhos

Tenista

Desempenho em piso rápido, 2016+

Desempenho em piso rápido, 2016+

Desempenho em piso rápido, 2016+

 ,

Partidas

Lucros/Perdas

ROI

Karlovic

32

-336

-10,50

Isner

63

346

5,49

Opelka

18

883

49,06

Klahn

20

649

32,45

Raonic

63

427

6,78

Kyrgios

59

276

4,68

Anderson

44

686

15,59

Copil

27

-180

-6.67

Kokkinakis

16

633

39,56

Querrey

54

3503

64,87

Evidentemente, estes tenistas orientados para o serviço tiveram um desempenho muito bom em condições de piso rápido nos últimos anos, independentemente do filtro utilizado.

Filtro um - os tenistas do ATP ordenados por percentagens de pontos de serviço ganhos geraram um lucro de 6342 GBP a partir de um conjunto de amostras bastante razoável de 481 partidas (ROI de 13,19%), enquanto o filtro dois gerou lucros ainda melhores, acumulando 6887 GBP a partir de 396 apostas hipotéticas (ROI de 17,39%).

No entanto, vale a pena mencionar que a amostra de Sam Querrey foi fortemente influenciada por uma vitória no preço de fecho de 32,891 sobre Novak Djokovic em Wimbledon em 2016 e, naturalmente, isto teve um impacto nos resultados globais - contribuindo com cerca de metade dos lucros hipotéticos de apenas uma partida. Contudo, dito isto, os resultados continuavam a ser sólidos mesmo que ignorássemos esta vitória de Querrey.

A impulsionar a teoria de que os tenistas extremamente orientados para o serviço são subvalorizados pelo mercado em condições de piso rápido estavam os desempenhos dos tenistas orientados para o retorno nas mesmas condições. As tabelas abaixo ilustram os 10 tenistas mais orientados para o retorno, utilizando os mesmos filtros:

Filtro três: Últimos 10 jogadores com pontos de serviço ganhos

Filtro três: Últimos 10 jogadores com pontos de serviço ganhos

Tenista

Desempenho em piso rápido, 2016+

Desempenho em piso rápido, 2016+

Desempenho em piso rápido, 2016+

 '

Partidas

Lucros/Perdas

ROI

Nishioka

20

197

9,85

Albot

29

903

31,14

Andreozzi

2

-200

-100,00

Dzumhur

26

-44

-1,69

Daniel

18

-1001

-55,61

Fabbiano

24

-367

-15,29

Andujar

5

521

104,20

Berlocq

3

58

19,33

Olivo

4

-400

-100,00

Kavcic

11

-118

-10,73

Filtro quatro: Últimos 10 jogadores na diferença entre pontos de serviço ganhos e pontos de retorno ganhos

Filtro quatro: Últimos 10 jogadores na diferença entre pontos de serviço ganhos e pontos de retorno ganhos

Tenista

Desempenho em piso rápido, 2016+

Desempenho em piso rápido, 2016+

Desempenho em piso rápido, 2016+

 ,

Partidas

Lucros/Perdas

ROI

Simon

46

-428

-9,30

Nishioka

20

197

9,85

Berlocq

3

58

19,33

Fognini

28

-477

-17,04

Fabbiano

24

-367

-15,29

Kamke

19

-106

-5,58

Olivo

4

-400

-100,00

Dzumhur

26

-44

-1,69

Andujar

5

521

104,20

Schwartzman

24

-1019

-42,46

De imediato, podemos observar que é óbvia a situação inversa do sucesso dos tenistas orientados para o serviço nestes eventos com piso rápido. Apoiar cegamente o filtro três - os 10 tenistas com o menor número de pontos de serviço ganhos - gerou uma perda de -451 GBP em 142 partidas (ROI de -3,18%), enquanto o desempenho dos tenistas destacado pelo filtro quatro foi ainda pior, seguindo-se uma perda de -2065 GBP em 199 partidas (-10,38%).

Resumindo, os tenistas orientados para o retorno debatiam-se também em condições de piso rápido, mas também jogavam consideravelmente menos nestes locais - talvez uma vontade de evitar estes lugares no seu calendário de jogos.

Contrariamente, é óbvio que os tenistas orientados para o serviço prosperavam em condições de piso rápido e, geralmente, tentavam jogar o máximo possível em eventos nestes locais.

A segunda parte desta série analisa o desempenho tanto dos tenistas orientados para o serviço como o dos tenistas orientados para o retorno nas condições inversas - os locais mais lentos do tour.

Para aproveitar ao máximo as nossas melhores probabilidades, não deixe de ler mais sobre os conselhos de apostas especializados da Pinnacle.

Recursos de apostas - Capacitar as suas apostas

Os Recursos de apostas da Pinnacle são um dos conjuntos mais abrangentes de conselhos de especialistas sobre apostas que se podem encontrar online. Dar resposta a todos os níveis de experiência - o nosso objetivo é simplesmente capacitar os apostadores a obterem mais conhecimentos.