mai 25, 2021
mai 25, 2021

Como apostar no futebol colombiano

Aprenda como encontrar o valor no futebol colombiano

Probabilidades e previsões do futebol colombiano

Informe suas apostas na Categoria Primera A

Insight e estatísticas sobre apostas no futebol colombiano

Como apostar no futebol colombiano

Quando se fala de futebol sul-americano, muitas vezes a conversa começa e termina com uma série específica de assuntos e generalizações. A América do Sul é uma região do mundo muito diversificada, com culturas diferentes, vários modos de vida e maneiras distintas de jogar e curtir o futebol. Os apostadores precisam levar em conta essas características antes de apostar em uma liga dessa região. Leia mais para informar suas apostas no futebol colombiano.

Nesta série, espero ajudá-lo a começar a entender algumas dessas diferenças entre as regiões. Falarei sobre os estilos de jogo, as diferenças culturais, o calor, o frio, a altitude, os ambientes hostis, os jogos fáceis fora de casa, os jogos de campeonatos sem sentido, as partidas que precisam ser vencidas, as prioridades do clube, os confusos sistemas de rebaixamento, as aperturas e clausuras (dois torneios em um formato de temporada dividida para ligas esportivas de países falantes de espanhol), os campeonatos estaduais, os especialistas em perder tempo, os gerentes de partidas, os esquentadinhos, os pensadores e quais equipes os apostadores devem ficar de olho para possivelmente ganhar uma vantagem sobre a casa de apostas.

Eu acho que o futebol sul-americano tem tantas variáveis adicionais quando se trata de prever o resultado de uma partida, que podem dificultar a aposta, mas também podem oferecer uma grande oportunidade para apostadores que estão em busca do valor. Começarei fornecendo um ponto de partida útil ao tentar entender e prever o resultado de partidas de futebol na Colômbia.

História do futebol colombiano

A Colômbia possui a segunda maior população e a quarta maior área territorial do continente. Cada região do país é muito diferente e os clubes entendem que essa diversidade étnica e cultural oferece uma ótima vantagem.

Cauca é onde o futebol colombiano encontra muitos de seus zagueiros altos e eficazes. A costa caribenha produz dezenas de atacantes e centroavantes criativos e marotos. Tumaco, próximo à fronteira com o Equador, é a terra natal de alguns dos maiores alas enérgicos e atléticos. Antioquia é conhecida por armadores técnicos e criativos, que conseguem desestruturar a defesa do adversário.

Ao contrário do que se tem na Europa, terminar na lanterna da liga não carrega o mesmo estigma ou risco

Além da diversidade extraordinária e extremamente valiosa, a Colômbia também tem vários centros urbanos grandes no país todo. As cidades de Cali, Bogotá e Medelín possuem, cada uma, dois clubes grandes e pelo menos dois clubes pequenos, já a costa caribenha é comandada pelo Atletico Junior. A região do café tem vários clubes medianos e há outros cinco ou seis cidades com apenas um clube. Como se isso não bastasse, ainda há a paixão nacional pelo futebol e muitos campos públicos e gratuitos de excelente qualidade do AstroTurf (grama artificial) espalhados pelo país – a Colômbia tem tudo para virar uma potência mundial do futebol.

Apesar de todas essas vantagens, a Colômbia historicamente teve dois períodos controversos no futebol com significado global e muitos anos de mediocridade decepcionante.

Futebol colombiano: o lado da seleção e dos clubes

O primeiro período de relevância foi o período de cinco ou seis anos conhecidos como El Dorado. Nessa época, uma disputa interna entre as associações profissionais e amadoras fez com que muitos dos maiores clubes do país jogassem em uma liga que não era reconhecida pela FIFA. Isso significava que os clubes não eram obrigados a pagar as taxas de transferência de jogadores nem seguir as restrições salariais rigorosas que o resto do mundo seguia na época.

Grandes clubes colombianos atraíam os melhores jogadores do mundo a vir e jogar na liga e eles rapidamente recrutaram os melhores jogadores da América do Sul e várias estrelas do futebol mundial da Europa. Muitos clubes importavam todos esses jogadores de um país específico. O Cucuta Deportivo, por exemplo, recrutou jogadores quase que exclusivamente do Uruguai, já o Deportivo Pereira optou por jogadores paraguaios, o Union Magdalena (Samarios) assinou contrato com oito húngaros, o Santa Fe recrutou jogadores ingleses, como Neil Franklin, enquanto o Millonarios, conhecidos como Blue Ballet, assinaram contratos com dois jogadores do Reino Unido e várias estrelas argentinas, incluindo o grande Alfredo Di Stefano.

O segundo período de grande relevância do futebol colombiano ocorreu na década 80 e foi relacionada ao fluxo repentino de dinheiro no esporte. Equipes colombianas agora poderiam reter suas grandes estrelas e atrair ótimos jogadores de todo o continente. Nos anos 80, o America de Cali jogou três finais consecutivas da Copa Libertadores e o Atletico Nacional foi campeão em 1989.

A seleção nacional também se beneficiou com esse aumento de investimentos e a prosperidade da liga. Los Cafeteros realmente roubaram a cena na Copa do Mundo FIFA de 1990 na Itália e depois quando estraçalharam a Argentina por 5 a zero fora de casa na campanha qualificatória para a Copa do Mundo FIFA de 1994. No entanto, a equipe foi um desastre em campo na Copa do Mundo de 1994. Além disso, o assassinato trágico do querido zagueiro Andres Escobar nas semanas após o torneio deixou o país pensativo, deprimido e envergonhado. Havia esperança de que este grande time colombiano ainda pudesse mostrar ao mundo o que esse país maravilhoso conseguia fazer, mas o assassinato parecia ter apenas confirmado e aumentado as visões negativas.

Na Copa do Mundo de 1998, a Colômbia que entrou em campo era um time sem grandes mudanças e já envelhecido. A equipe foi eliminada ainda na fase de grupos. Apesar de ter sido um pouco surpreendente, eles venceram a Copa América de 2001 em casa, mas só conseguiram retornar para a Copa do Mundo em 2014. A Colômbia estava feliz da vida por ter conseguido retornar ao maior palco do futebol internacional e o torneio no Brasil foi uma grande reviravolta. A Colômbia jogou com confiança, ginga e alegria. O país agora estava em uma fase mais estável e segura, a e equipe conseguiu realmente se expressar e representar esse país tão diversificado e enérgico.

A seleção nacional é muito mais competitiva e tem uma força muito maior em profundidade. Muitos jogadores, que nem chegaram a ser chamados agora, certamente teriam sido titulares há 10 ou 15 anos atrás. Todos os anos, a Colômbia fornece vários jogadores a grandes clubes europeus e a produção de jogadores está muito melhor.

Mas, apesar de a situação estar muito mais estável, tanto o país como seu amado esporte ainda possuem problemas.

Em 2016, uma equipe muito surpreendente do Atletico Nacional ganhou a Copa Libertadores com estilo, mas esse sucesso não era uma anomalia real em termos de futebol de um clube colombiano. Ao contrário do Brasil, onde a qualidade dos jovens jogadores produzidos é consistentemente de qualidade mundial, a Colômbia tem poucos técnicos que poderiam ser considerados para qualquer cargo europeu. O país tem talento de sobra, mas deixa a desejar em inovações no futebol.

Abordagem tática e estilo de jogo

A Colômbia, assim como vários outros países do continente, se inspira na Argentina e há muito tempo é obcecada com um clássico camisa 10 criativo. A superestrela de 1980, Carlos Valderrama, se encaixou perfeitamente nessa visão e El Pibe preparou o terreno para o grande time da Colômbia na final da década de 80 e início da década de 90, com o estilo de jogo "passe curto e movimentação" construído em torno de um armador carismático.

Todo garoto queria ser o El Pibe e todo clube parecia ser criado em torno de um número 10 nas décadas seguintes. Jogadores incríveis, como James Rodriguez e Juan Fernando Quintero, podem ser considerados os herdeiros modernos do grande Valederrama, mas talvez esta obsessão tenha um desenvolvimento limitado em outros lugares e ela tolheu a inovação. A Colômbia tem produzido cada vez mais meio-campos defensivos de grande qualidade e cheios de energia, o que acho que é um resultado de pouca corrida e contribuição defensiva do bajulado, mimado, clássico, porém preguiçoso armador das equipes de base.

Assim como no Brasil, as defesas colombianas geralmente ficam retrancadas enquanto os centroavantes ficam mais na ofensiva. Há uma distinção muito extrema feita entre "meio-campos criativos" e "meio-campos defensivos", como se o futebol moderno não exigisse que os jogadores preencham ambas as posições, o que trava o jogo colombiano. Enquanto o Brasil busca ampliar a jogada e o ataque pelas alas, o futebol colombiano no ápice se concentra em trocas de passe precisas.

Há uma série de outros fatores que vão além do que acontece no gramado que afetam os resultados

O futebol de rua é muito importante para os dois países, mas enquanto parece inspirar magia e jogadas individuais inovadoras nos jogadores brasileiros, na Colômbia ele ensina a troca de passes e o domínio coletivo da partida. Os jogadores de rua do Brasil tentam dar uma caneta (quando a bola passa por entre as pernas do adversário), enquanto os colombianos tentam botar a bola no fundo da rede após 15 passes precisos, criativos e contínuos.

Quando se trata de gerenciamento do jogo, os times da Colômbia geralmente deixam a desejar. Há uma noção entre as equipes colombianas de que eles precisam ser significativamente melhores do que seus adversários para vencer e isso realmente os impede de melhorar. Muitas vezes, os jogadores são facilmente provocados ou distraídos por rivais mais marrentos do sul. Os colombianos também têm mais chances de serem expulsos por uma cotovelada do que enfurecer um adversário com uma pisada maliciosa com as travas da chuteira no calcanhar de Aquiles sem o juiz ver. Eles também não são bons em cavar falto, não são eficientes em deixar o tempo passar e são propensos a perder a cabeça com um pouco de provocação.

No entanto, apesar dos problemas e dos desempenhos insignificantes dos clubes continentais, o futebol colombiano é mais uma vez uma potência e, desta vez, aparentemente com uma base mais estável e sustentável.

Como a liga de futebol é estruturada na Colômbia?

O futebol colombiano atualmente possui duas ligas profissionais. A série B é conhecida formalmente como Categoria Primera B ou Torneo BetPlay Dimayor por questões a ver com patrocínio, e a série A é conhecida como Categoria Primera A ou Liga BetPlay Dimayor. A série A tem uma temporada de abertura (Apertura) e uma de fechamento (Clausura) a cada ano, sendo que os oito melhores times avançam para as eliminatórias. O formato das eliminatórias mudou muitas vezes ao longo dos anos, mas agora geralmente é uma semifinal de ida e volta, seguido por uma final de ida e volta.

Isso significa que a liga colombiana tem dois campeonatos da liga por ano. Os times campeões se enfrentam na final da Superliga Colombiana no início do ano seguinte, embora vencer essa competição de ida e volta seja menos prestigioso e importante do que a vitória da liga necessária para se qualificar (dá para se pensar como uma versão um pouco menos importante da partida de Community Shield na Inglaterra, mas disputada em duas partidas).

Entre as divisões, dois times podem ser rebaixados e outros dois podem subir anualmente. O sistema de rebaixamento na Colômbia também é estranho e, em grande parte, feito para proteger os grandes clubes já estabelecidos contra o rebaixamento. O raciocínio é que um time popular e rico pode ter um ano ruim se tiverem perdido muitos jogadores importantes, mas, a longo prazo, eles certamente serão merecedores de um lugar na divisão principal. Como resultado, o rebaixamento é calculado ao longo de três temporadas em uma tabela separada de "descenso" ou rebaixamento.

O sistema de rebaixamento significa que as equipes podem começar o ano sabendo que elas não serão rebaixadas, enquanto outros iniciam o ano sabendo que eles precisarão chegar ao ponto de vencer o título para conseguir evitar o rebaixamento. Atualmente, há quase 100 pontos de diferença entre as equipes na parte superior e inferior da tabela de rebaixamento. As equipes que acabaram de subir assumem o peso dos pontos de rebaixamento da equipe que eles substituíram, o que significa que as equipes que sobem são imediatamente as favoritas a serem rebaixadas novamente. É matematicamente possível ganhar a liga e ainda ser rebaixado no mesmo mês na Colômbia, algo que chegou perto de acontecer em uma série de ocasiões.

Além da tabela de rebaixamento paralela, eles também registram o total de pontos em duas temporadas em um ano com a tabela de "reclasificación" (reclassificação). Isso é menos importante, mas é usado para decidir quais clubes se classificam para os torneios internacionais junto com os campeões da liga e da copa.

Os jogos da copa ocorrem durante todo o ano e há uma fase de grupos na primeira metade e uma fase de mata-mata na segunda. Equipes das duas maiores divisões entram na fase de grupo enquanto os clubes participantes de competições internacionais entram direto na fase de mata-mata. A maioria das equipes não se importa com a copa até chegarem à fase de mata-mata e muitos a usam exclusivamente para dar experiência para os garotos da base. Claro, às vezes isso dá certo, mas sempre espere o inesperado quando o assunto é a copa, já que muitas vezes as equipes da segunda divisão são muito mais motivadas. Os jogadores encaram a copa como uma oportunidade de conseguir uma transferência ou conquistar uma vaga em uma equipe da primeira divisão.

A presença do público na Colômbia oscila muito dependendo do desempenho da equipe no gramado. Em 2016, o Atletico Nacional era o melhor time do continente e os torcedores esperavam na fila por cinco a seis horas para tentar conseguir um ingresso ou pagavam 20 vezes o valor oficial. Desde então, o Nacional já jogou para menos de 5.000 torcedores em um estádio para 45.000 pessoas. O sistema da temporada curta e da eliminatória é um jeito de os organizadores manter a emoção do esporte, mas às vezes esse sistema intensifica o problema. Os clubes e os torcedores se dão conta quando eles não têm chance nenhuma na temporada, e assim tanto os resultados quanto a presença do público acabam diminuindo ainda mais.

Se um time está na lanterna da liga, mas não corre risco algum de ser rebaixado, haverá muita insatisfação, possíveis mudanças na equipe técnica e planos para novas contratações, mas é pouco provável que haja muito incentivo para mudar o rumo das coisas antes do final da temporada. As equipes na Colômbia atingem o sucesso ao longo de muitas décadas e após muitos títulos. Assim, terminar na lanterna da liga não carrega o mesmo estigma nem o risco, como é o caso na Europa.

Apostas no futebol colombiano: fatores a se considerar

Além dos fatores geralmente considerados, quem quiser apostar no futebol colombiano precisará considerar ainda alguns outros fatores.

Motivação

A Copa Libertadores é sempre a prioridade das equipes colombianas. Se há uma equipe no topo da liga, mas com partidas importantes na Copa Libertadores, então a prioridade dela será a Libertadores. Há pouca diferença em termos da fase eliminatória para uma equipe que termina em primeiro ou em oitavo lugar. Isso significa que, assim que a classificação para as eliminatórias parece estar garantida, as equipes muitas vezes começam a fazer rodízio da escalação, e isso pode afetar os resultados. Se um time for muito bom, ele pode inclusive parar de tentar. Se um time for muito ruim, mas estiver a salvo, ele também poderá parar de tentar.

As equipes ameaçadas de rebaixamento no início do ano têm mais chances de gastar dinheiro e fazer mudanças. Muitas vezes, isso pode ter dois resultados: ou eles se dão muito bem e conseguem chegar às eliminatórias ou eles se dão muito mal e o rebaixamento é confirmado meses antes do final do ano.

Geografia

A Colômbia também é um país com uma grande diversidade natural, o que tem um papel importante no futebol do país. A capital Bogotá, casa do Santa Fe, Millonarios e La Equidad, fica a 2.640 metros acima do nível do mar, na altitude dos Andes. O clima é altamente imprevisível. Em um único dia, é possível (e muito provável) ter chuva, granizo e sol. A média de temperatura fica em 10 °C. Embora a altitude não seja tão desagradável quanto em La Paz na Bolívia, ela afeta principalmente jogadores mais velhos ou de muita explosão, que podem ter dificuldades próximo ao fim do jogo.

Barranquilla é a casa do Atletico Junior e da seleção da Colômbia. A cidade costeira do Caribe tem uma temperatura média de 27 °C, o que tem um impacto enorme nos jogos. A seleção da Colômbia propositalmente joga seus jogos em casa durante a tarde para sugar a energia dos adversários e tirar vantagem disso. Outras cidades quentes e úmidas incluem Neiva (Huila FC), Montería (Jaguares), Cali (Deportivo Cali e America de Cali) e Barrancabermeja (Alianza Petrolera) onde a vantagem do jogo em casa é muito significativa. Já aconteceu de as equipes que visitam Neiva optar por se trocar no estacionamento por causa do calor sufocador do vestiário.

A região cafeeira (Tolima, Once Caldas e Pereira) e as cidades vizinhas são um pouco úmidas, mas com uma temperatura amena sem muita altitude. Medelín, a cidade da eterna primavera, e a região da Antioquia (Atletico Nacional, Deportivo Independiente Medellín, Aguilas Doradas e Envigado) tem um clima quente e agradável, com eventuais aguaceiros e não oferece nenhum desafio adicional específico para equipes visitantes.

A falta de motivação mais as temperaturas ou altitudes incômodas e desgastantes podem, muitas vezes, levar a empates em 0 a 0 muito previsíveis em partidas de pouca importância. Algumas das equipes menores na liga se pouparão para ter um melhor desempenho nos jogos importantes fora de casa em estágios lotados contra gigantes tradicionais da liga colombiana. Essa é uma motivação adicional clara ao enfrentar grandes equipes em estádios lotados com transmissão ao vivo para todo o país.

Tradição e foco do clube

Envigado e Deportivo Cali têm categorias de base muito famosas e importantes, com uma preferência de introduzir jovens talentos na primeira equipe deles. Isso significa que, muitas vezes, eles possuem uma das equipes mais talentosas da liga, mas muito inexperiente. Isso frequentemente resulta em um desempenho surpreendente na liga, mas também pode representar um grande colapso assim que a pressão pegar nas eliminatórias contra equipes mais experientes em estádios lotados.

As equipes menores muitas vezes se qualificam para as eliminatórias, mas raramente ganham o título. Se uma equipe menor termina no topo da fase de grupos, isso não a torna de forma alguma a favorita na fase de mata-mata. Em geral, será uma das equipes grandes que vencerá no final.

America de Cali, Atletico Junior e Atlético Nacional geralmente são os favoritos para vencer o campeonato. Millonarios tem os recursos para erguer a taça, mas frequentemente decepcionam, enquanto DIM, Deportivo Cali e Santa Fe lideram as equipes logo atrás dos líderes e Tolima tem muita capacidade de ganhar o título com o estilo de jogo eficiente dela. Times como Pasto, La Equidad, Rionegro Aguilas e Bucaramanga têm a organização, a estrutura e o capital para chegar às eliminatórias de vez em quando. Envigado ocasionalmente tira proveito da geração dos melhores jogadores da base, onde eles serão muito surpreendentes na fase de grupos, mas desmoronarão nas eliminatórias.

Clássicos colombianos

Os clássicos são imprevisíveis, mas muito importantes. Os “clasicos” mais importantes são Atletico Nacional vs. DIM (Medelín), Santa Fe vs. Millonarios (Bogotá), Deportivo Cali vs. America de Cali (Cali). Há também muita rivalidade entre cidades, como Nacional vs. America, Nacional vs. Millonarios, Deportivo Cali vs. DIM e America vs. Millonarios. Há muita intensidade nesses jogos e os torcedores muitas vezes incentivam um jogo ofensivo e assertivo. Tem cartão e gol de sobra.

O futebol colombiano está cheio de grandes garotos e futebol emocionante. Há uma série de outros fatores que vão além do que acontece no gramado que afetam os resultados. Embora isso possa complicar a previsão dos resultados, espero que as informações acima tenham dado a você algumas tendências chave que oferecerão uma grande vantagem na hora de prever os resultados.

Geralmente há um porquê de líderes da liga serem derrotados com frequência por equipes da metade da tabela que estão com dificuldade e, assim espero, você agora saberá por quê.

Receba as últimas probabilidades do futebol sul-americano em todas as partidas desta temporada na Pinnacle.

Recursos de apostas - Capacitar as suas apostas

Os Recursos de apostas da Pinnacle são um dos conjuntos mais abrangentes de conselhos de especialistas sobre apostas que se podem encontrar online. Dar resposta a todos os níveis de experiência - o nosso objetivo é simplesmente capacitar os apostadores a obterem mais conhecimentos.