ago 2, 2019
ago 2, 2019

As maiores desilusões e as equipas menos afortunadas da Premier League em 2018/2019

As maiores desilusões da Premier League

A maior oscilação de golos esperados (xG)

Que fatores influenciam os golos esperados (xG)?

As maiores desilusões e as equipas menos afortunadas da Premier League em 2018/2019

Este artigo examina as maiores desilusões e as equipas menos afortunadas da campanha de 2018/19 da Premier League, analisando os dados de probabilidades históricas e golos esperados (xG).

De ler as reações após o jogo, muitas vezes radicais e incendiárias, nas redes sociais a ouvir repetidamente os comentários excessivamente empolgados que, provavelmente, estão a assistir à "morte de um gigante", os fãs do futebol podem bem ser desculpados por pensarem que estão a testemunhar uma grande desilusão ou a total capitulação quase todos os fins de semana.

Além disso, os adeptos também irão tradicionalmente acreditar que a equipa adversária está a beneficiar de uma grande dose de sorte ao mesmo tempo que acreditam que o seu clube continua a ser injustiçado, quer seja por más arbitragens, momentos de loucura ou golos impensáveis.

Em vez de se deixarem seduzir pela agitação e exagero, os apostadores devem lembrar-se de prestar atenção aquilo que dizem os dados ao determinarem se realmente assistiram a uma luta entre David e Golias ou se foi mesmo a Senhora Sorte que separou as duas equipas num dado momento do jogo.

Este artigo irá abordar as verdadeiras grandes desilusões da campanha do ano passado, bem como focar-se nas verdadeiras equipas "menos afortunadas" da primeira divisão inglesa, examinando as probabilidades da Pinnacle e os valores de golos previstos (xG) para jogos individuais.

Todas as estatísticas neste artigo são fornecidas pela Understat. Para sua referência, em cada tabela, FUNDO refere-se aos passes conseguidos com uma distância de 20 metros para golo, excluindo os cruzamentos. Pontos esperados (xPTS), representam o número de pontos que se esperaria que uma equipa ganhasse com base no seu total de golos esperados (xG).

As três maiores desilusões da Premier League em 2018/2019

Manchester City 2-3 Crystal Palace

  • - Gundogan 1-0 27’ (xG 0,29)
  • - Schlupp 1-1 33’ (xG 0,5)
  • - Townsend 1-2 35’ (xG 0,1)
  • - Milivojevic (pen.) 1-3 51’ (xG 0,76)
  • - De Bruyne 2-3 85’ (xG 0,01)

Manchester City Crystal Palace

Manchester City

Equipas

Crystal Palace

2

Pos.

15

WWWWLW

Form.

LDWLLW

2

Golos

3

1,27

xG

1,15

19

Remates

5

5

Remates para golo

3

16

FUNDO

0

1,38

xPTS

1,30

De acordo com as probabilidades da Pinnacle, a maior desilusão da época passada da Premier League foi uma cortesia da viagem de Natal do Crystal Palace ao campo dos eventuais campeões do Manchester City, no sábado, 22 de dezembro.

Com probabilidades de abertura de 22,93, os Eagles tinham uma probabilidade de vitória implícita de apenas 4,4% de arrecadar os três pontos do Etihad.

O City entrou no jogo com o único recorde da liga em casa de 100% nas seis principais camadas do futebol inglês. Por outro lado, o Palace, que não ganhava no estádio do City há 28 anos, tinha perdido nas suas deslocações anteriores por 5-0.

Com probabilidades de 19,77 no pontapé de saída, que lhes concedia 5,1% de hipóteses de vitória, os jogadores do Palace estavam a perder 1-0 aos 27 minutos quando Ilkay Gundogan apareceu na grande área para marcar de cabeça após um cruzamento de Fabian Delph.

Para o City, tudo parecia estar a correr de acordo com o plano, mas o que aconteceu a seguir deixou os fãs, apostadores e corretores de apostas atordoados.

No espaço de apenas oito minutos, o Palace conseguiu inverter completamente a pontuação.

Primeiro, Jeffrey Schlupp igualou o marcador com um remate escaldante do limite da área, antes de Andros Townsend ter produzido possivelmente o golo da época com um lançamento soberbo de 25 metros – depois do City não ter conseguido evitar um pontapé livre.

Como resultado, o preço do Palace acabou por passar para 4,55 (22%), caindo ainda mais para 1,32 (75,80%) depois da grande penalidade de Luka Milivojevic ao minuto 51 ter colocado o resultado em 3-1.

Os menos favoritos acabaram por ganhar o jogo com 3-2, depois de um golo ao minuto 85 de Kevin De Bruyne ter dado ao City alguma esperança.

Um jogo notável em muitos aspetos, dado que os três golos do Palace resultaram de dois ataques de fora da área e de uma grande penalidade – os Eagles tiveram pouca posse de bola perto do golo do City.

Newcastle 2-1 Manchester City

  • - Aguero 0-1 1’ (xG 0,44)
  • - Rondon 1-1 65’ (xG 0,09)
  • - Ritchie (pen) 2-1 79’ (xG 0,76)

Newcastle vs. Manchester City

Newcastle United

Equipas

Manchester City

17

Pos.

2

DLDLLW

Form.

LLWWWW

2

Golos

1

0,99

xG

1,34

7

Remates

12

2

Remates para golo

4

2

FUNDO

11

1,08

xPTS

1,59

Numa viagem a St. James’ Park, na terça-feira, 29 de janeiro, o Manchester City também se viu envolvido na segunda maior desilusão da época ao perder 2-1 para o Newcastle United que, à data, estava apenas dois acima da zona de despromoção.

Com apenas uma vitória nos seus seis anteriores jogos na liga, pouco fazia prever que os Magpies conseguissem sequer abalar as esperanças de conquista do título do City.

O mercado refletiu esta situação com a Pinnacle a oferecer probabilidades de abertura para a vitória do Newcastle de 11,75, o que lhe dava uma hipótese de vitória de 8,5%.

Ao olharmos para os dados históricos, o City não tinha perdido com o Newcastle em 22 jogos da liga e com apenas três empates entre as equipas nesse mesmo período.

Com probabilidades de 15,11 (6,6%) no pontapé de saída, o Newcastle teve o pior início possível quando, a apenas 24 segundos, Sergio Aguero avançou para a grande área para marcar a partir de um passe de cabeça de David Silva.

O Newcastle esteve atrás no marcador durante mais de uma hora até que o avançado Salomon Rondon disparou certeiro aos 65 minutos.

Num crescendo de crença e encorajamento, quer pelo apoio dos adeptos da casa, quer por um Manchester City inusitadamente desfalcado, os homens de Rafael Benítez colocaram-se a ganhar 2-1 ao minuto 78.

A jogar desesperadamente na defesa, Fernandinho fez falta sobre Sean Longstaff dentro da área depois de ter perdido a posse da bola.

Depois de esperar mais de dois minutos para marcar, enquanto o guarda-redes Ederson recebia assistência médica, Matt Ritchie disparou com pontaria para colocar o Newcastle em verdadeiro êxtase.

Apesar do seu arranque promissor, o City não reagiu e não voltou a importunar o guarda-redes do Newcastle, Martin Dubravka, após o seu último remate aos 58 minutos.

Chelsea 0-1 Leicester City

  • - Vardy 0-1 50’ (xG 0,13)

Chelsea vs. Leicester City

Chelsea 

Equipas

Leicester City

4

Pos.

12

DLWLWW

Form.

DDWDLL

0

Golos

1

2,40

xG

0,46

17

Remates

8

5

Remates para golo

3

10

FUNDO

5

2,68

xPTS

0,21

Numa estranha coincidência, duas das três maiores desilusões da época de 2018/2019 aconteceram no mesmo dia: sábado, 22 de dezembro. A terceira grande desilusão da época: o Leicester City, situado a meio da tabela, viajou a Stamford Bridge para defrontar o Chelsea no quarto lugar.

Invicto em casa até à data, o Chelsea de Maurizio Sarri era o grande favorito, com o Leicester City, que não ganhava em Stamford Bridge desde 2000, a receber probabilidades de abertura de 13,77 (7,3%) e probabilidades de 10,58 (9,5%) momentos antes do apito inicial.

Não conseguindo aproveitar um bom início de partida, o Chelsea viu-se em desvantagem ao minuto 51, quando Jamie Vardy aproveitou o passe de James Maddison para bater Kepa Arrizabalaga dentro da grande área.

Com este resultado, o Leicester assistiu às suas probabilidades de vencer diminuírem de 9,82 (10,2%) para 2,8 (35,7%).

Resistindo a uma enorme pressão nos últimos momentos do jogo, o Leicester conseguiu, de alguma forma, manter o resultado, com Antonio Rudiger a ver o seu lance de cabeça passar por cima da barra aos 89 minutos, antes de Marcos Alonso atirar ao poste dois minutos depois.

As três equipas "menos afortunadas" da Premier League em 2018/2019

Podemos utilizar as estatísticas de golos esperados (xG) e encontrar os jogos com as maiores oscilações entre xG e o resultado final.

Dado que nos estamos a concentrar nas equipas "menos afortunadas", serão considerados apenas os resultados nos quais as equipas que tinha um valor de xG mais alto que os seus adversários não conseguiram ganhar.

No entanto, devemos fazer uma menção honrosa ao jogo do West Ham em casa contra o Huddersfield a 16 de março, que terminou com 4-3 para os Hammers, apesar de ambas as equipas registarem um valor de xG de 1,88 e 1,67, respetivamente.

É importante notar, contudo, que existem muitos fatores diferentes que contribuem para o fraco ou extraordinário desempenho de uma equipa relativamente ao seu total de golos esperados e que vão muito além da "pura" sorte.

Os exemplos incluem a habilidade na finalização (Kane), a habilidade de defesa da baliza (de Gea) e a tática (Atletico Madrid).

Fulham (xG 1,32) 1-5 (xG 1,14) Arsenal

  • - Lacazette 0-1 28’ (xG 0,43)
  • - Schurrle 1-1 43’ (xG 0,33)
  • - Lacazette 1-2 48’ (xG 0,02)
  • - Ramsey 1-3 66’ (xG 0,15)
  • - Aubameyang 1-4 78’ (xG 0,14)
  • - Aubameyang 1-5 90’ (xG 0,14)

Fulham vs. Arsenal

Fulham

Equipas

Arsenal

17

Pos.

6

LWDLDL

Form.

LWWWWW

1

Golos

5

1,32

xG

1,14

21

Remates

9

4

Remates para golo

7

5

FUNDO

12

1,50

xPTS

1,22

Ao terminar na segunda metade da tabela de classificação da Premier League, com apenas 26 pontos em 38 jogos, Fulham só se pôde culpar a si pelos seus próprios infortúnios.

No entanto, depois do seu jogo em casa contra o Arsenal em outubro, a equipa poderia considerar-se como uma verdadeira "azaraa" por não ter terminado o jogo com um respeitoso empate.

Com a apresentação do Arsenal de Unai Emery, o jogo é tavez mais lembrado pela exclamação coletiva de "Temos o nosso Arsenal de volta!” dos adeptos da equipa visitante em delírio.

Naquele que se tornaria o nono jogo da sua senda de 22 vitórias consecutivas, parece que os adeptos do Arsenal começaram a festejaram cedo demais, uma vez que o promissor início da época e a boa forma rapidamente iria regredir.

O Arsenal acabou por terminar a época em quinto lugar, a um ponto de um cobiçado lugar na Liga dos Campeões, depois de vencer apenas dois dos seus últimos seis jogos da liga.

Com um total de golos previstos (xG) de apenas 1,14 – em comparação com os cinco golos que acabaram por marcar, os avançados do Arsenal estavam numa excelente forma, apesar nos níveis insustentáveis de elevadíssimo desempenho. O assombroso calcanhar de Aaron Ramsey foi o escolhido entre os golos, seguido por um sedoso movimento de contra-ataque.

O Arsenal foi talvez ajudado e o Fulham comprometido pelo desempenho do guarda-redes Marcus Bettinelli, que viria a jogar apenas mais um jogo da liga em toda época – uma derrota por 4-2 em casa do Cardiff City, que também seria despromovido para o Campeonato.

Burnley (xG 1,89) 1-5 (xG 1,89) Everton

  • - Mina 0-1 1’ (xG 0,36)
  • - Digne 0-2 12’ (xG 0,07)
  • - Sigurdsson 0-3 21’ (xG 0,76)
  • - Gibson 1-3 36’ (xG 0,91)
  • - Digne 1-4 70’ (xG 0,02)
  • - Richarlison 1-5 92’ (xG 0,14)

Burnley vs. Everton

Burnley

Equipas

Everton

18

Pos.

11

LLLWLL

Form.

WLDDLL

1

Golos

5

1,32

xG

1,14

21

Remates

9

4

Remates para golo

7

5

FUNDO

12

1,50

xPTS

1,22

A apenas dois pontos do fundo da tabela da Premier League, o Burnley em grandes dificuldades recebeu o Everton, do meio da tabela, no Boxing Day (26/12), com esperanças de alguma animação natalícia para ajudar a atenuar as suas preocupações de despromoção.

Eventualmente conseguindo a 15.ª posição da tabela, o Burnley teve todo o direito de matutar no fim do encontro como é que acabou por perder por 5-1 no duelo com o Everton que conseguiu igualar durante os 90 minutos do jogo.

Com um total de golos esperados (xG) igual de 1,89 cada, combinado com um total de pontos esperados (xPTS) de 1,37 e 1,33, respetivamente, o resultado "justo" teria sido um muito necessário ponto para o Burnley em vez da tareia monumental que recebeu.

Infelizmente, a equipa enfrentou o ex-Barcelona e atual defesa esquerdo do Everton, Lucas Digne, num dia inspirado.

O internacional francês nomeado Jogador da Época do Everton desferiu um implacável pontapé livre de pé esquerdo aos 12 minutos e, apesar, da mão forte de  Joe Hart, marcou um total de golos esperados (xG) de apenas 0,07.

A vinte minutos do fim, Digne duplicou o seu total com um golo ainda melhor, ao marcar após um esforço de drible, de fora da área, atingindo um total de golos esperados (xG) de apenas 0,02.

Já em tempo de descontos, Richarlison assinou a sentença do Burnely, com uma finalização soberba do lado de fora da sua bota esquerda. Uma oportunidade com um total de golos esperados (xG) de apenas 0,14.

Bournemouth (xG 2,85) 3-3 (xG 0,98) Watford

  • - Deeney 13’ 0-1 (xG 0,04)
  • - Deeney 26’ 0-2 (xG 0,56)
  • - Ake 33’ 1-2 (xG 0,55)
  • - Wilson 36’ 2-2 (xG 0,04)
  • - Sema 37’ 2-3 (xG 0,04)
  • - Fraser 39’ 3-3 (xG 0,21)

Bournemouth vs. Watford

Bournemouth

Equipas

Watford

12

Pos.

9

WLLWLL

Form.

LDWWLD

3

Golos

3

2,85

xG

0,98

25

Remates

11

12

Remates para golo

3

9

FUNDO

9

2,56

xPTS

0,31

Separado por apenas dois pontos e três lugares a 2 de janeiro, a viagem de Ano Novo do Watford ao campo do Bournemouth poderia não ter surpreendido os observadores mais distraídos se tivesse terminado com um empate.

No entanto, a realidade foi algo diferente, com a equipa da casa a ter a pouca sorte de não arrecadar os três pontos, apesar de estar a ganhar 2-0 durante os primeiros 26 minutos.

Num jogo em que os seis golos foram marcados nos primeiros 39 minutos disputados, Troy Deeney abriu as hostilidades com um remate de cabeça bem direcionado de fora da área dos seis metros, com um total de golos esperados (xG) de apenas 0,04.

Ao duplicar a vantagem do Watford com um ataque convencional 13 minutos mais tarde, Nathan Ake arrancou um golo para o Bournemouth aos 33 minutos em contra-ataque depois de Ben Foster ter conseguido uma defesa fantástica, negando um golo a Dan Gosling.

Apenas 3 minutos mais tarde, um lance de cabeça em arco de Callum Wilson após um pontapé livre de Ryan Fraser rendeu ao Bournemouth um golo, com o esforço do internacional inglês a ter um total de golos esperados (xG) de apenas 0,04.

Num dos jogos mais empolgantes da época, o Watford reconquistou imediatamente a liderança com um meio lançamento de Ken Sema de fora da área, mais uma vez, com um total de golos esperados (xG) de apenas 0,04.

Com o último golo do jogo, dois minutos mais tarde, Ryan Fraser arrumou o resultado para a equipa da casa.

Apesar de nunca estar na liderança, os 25 remates do Bournemouth, 12 dos quais à baliza, renderam um total de golos esperados de 2,85, que, em comparação com o total do Watford de apenas 0,98, deveria ter sido o bastante para que a equipa ganhasse o jogo confortavelmente.

Por que motivo estes dados não nos contam toda a história

Embora seja interessante analisar as maiores desilusões e as equipas "menos afortunadas" individualmente, seria uma tolice pegar nos dados desta análise e aplicá-los à sua avaliação do desempenho de uma equipa.

Esta amostra individual de jogos diz-nos muito pouco sobre como será o desempenho regular de uma equipa e contém demasiado ruído para nos ser útil em qualquer forma de modelo preditivo. Se, no entanto, começarmos a assistir ao desenvolvimento de um padrão a longo prazo (e com uma amostra de jogos maior), poderá valer a penas investigar um pouco mais.

Por exemplo, na próxima época, os apostadores poderão optar por utilizar os golos esperados (xG) para avaliarem se uma equipa está a conseguir um bom/mau desempenho e se irá ou não acabar por regressar a valores médios. Isto pode ser particularmente útil ao fazer previsões em meados da época.

Da mesma forma, os apostadores também devem seguir de perto o movimento das probabilidades nos dias antes de um evento.

Para saber o preço "justo" de mercado para um jogo, basta consultar as probabilidades da Pinnacle uma hora antes do início do evento.

Com a nova época a poucos dias de começar, não se esqueça de obter as melhores probabilidades da Premier League e conselhos sobre apostas durante toda a época com a Pinnacle.

Recursos de apostas - Capacitar as suas apostas

Os Recursos de apostas da Pinnacle são um dos conjuntos mais abrangentes de conselhos de especialistas sobre apostas que se podem encontrar online. Dar resposta a todos os níveis de experiência - o nosso objetivo é simplesmente capacitar os apostadores a obterem mais conhecimentos.