mar 26, 2021
mar 26, 2021

Prévia do Masters de Golfe 2021

Prévia do Masters de Golfe

Quem será o campeão do Masters de Golfe de 2021?

Previsões para o Masters de Golfe 2021: onde está o valor?

Aproveite os insights especializados de Sophie Walker

Prévia do Masters de Golfe 2021

Os maiores e melhores nomes do golfe estão prontos para se enfrentar no torneio Masters deste ano pelo primeiro Major de 2021 e a chance de reivindicar um cobiçado Paletó verde. Quem são os favoritos, onde está o valor e o que pode acontecer no Augusta National Golf Club? Informe-se e faça suas previsões com a ajuda dos insights especializados de Sophie Walker.

Datas: de 8 a 11 de abril de 2021

Local: Augusta National Golf Club (Georgia, EUA)

Campeão atual: Dustin Johnson

Aposte: probabilidades para o Masters 2021

Masters 2021: histórico e escalação

Desde 1934, o Augusta National Golf Club na Geórgia, EUA, recebe o torneio – embora desta vez não haja espectadores presentes. O campo é composto por quatro buracos de par 3, 10 de par 4 e quatro de par 5 em um total de 7.475 jardas, totalizando uma média de 415,28 jardas por buraco.

Os motivos pelos quais o campo é conhecido incluem fairways irregulares, ventos fortes e perigos de água difíceis, bem como o "Amen Corner" dos buracos 11, 12 e 13, frequentemente classificado como decisivo para uma rodada.

O Masters retorna à sua data usual em abril deste ano. Depois de ter sido realizado em novembro de 2020, tivemos que esperar apenas cinco meses pelo retorno do evento de maior prestígio do golfe masculino. Ao contrário de qualquer outra de Major, este Masters tem um campo com a metade do tamanho dos campeonatos abertos e é disputado no mesmo campo todos os anos. Como resultado, muitas informações estão disponíveis para ajudar nas suas previsões. O Masters é um evento mágico, e estou aqui para explicar quem é o golfista mais adequado para este campo projetado por Bobby Jones e Alistair MacKenzie.

O Masters teve início em 1934 e o único novato a vencer após 1935 foi Fuzzy Zoellar. A experiência é fundamental em Augusta, em parte devido à tensão do torneio, mas principalmente devido à compreensão de como jogar cada buraco e acessar os locais de buraco mais difíceis. Se você alguma vez tiver a oportunidade de verificar o livro de jardas de um jogador, verá que ele é repleto de informações atualizadas anualmente, como um diário.

A história sugere que os jogadores têm seu melhor desempenho entre a sexta e a 12ª participações no torneio – com destaque para o ano passado, quando Dustin Johnson obteve a vitória em sua nona tentativa. Também é visto como um mau presságio para os jogadores ganharem o Campeonato Par 3 um dia antes do início do evento (um terço dos vencedores do evento perdeu o corte em Augusta); no entanto, o Par 3 foi cancelado este ano.

Os convidados para o Masters 2021

Com apenas 84 convidados, o Masters tem o menor campo de Major do golfe mundial. Dos 84, apenas seis são amadores, enquanto muitos já venceram o torneio ao menos uma vez. Augusta sempre homenageia seus campeões, e vencedores anteriores têm lugar garantido em todas as edições do torneio. É por isso que você verá Sandy Lyle e Larry Mize no tee em abril.

Nunca houve um vencedor amador do Masters, com o melhor resultado dos últimos tempos vindo de Ryan Moore, que terminou em T13 em 2005. Por outro lado, o vencedor mais velho de um Major foi Jack Nicklaus, aos 46 anos de idade. 11 jogadores entrarão em campo para o Masters 2021 com mais de 46 anos e, o que é mais importante, apenas um deles, Lee Westwood, está atualmente classificado entre os 40 melhores do mundo.

Desde que o início das classificações do ranking mundial em 1986, apenas dois campeões do Masters não estavam listados entre os 40 melhores do mundo, Angel Cabrera e Zach Johnson. Jordan Spieth está atualmente fora do top 50 do mundo. Isso me leva a dizer que apostas em Westwood e Spieth seriam mais baseadas em razões emocionais que motivos reais e que você deveria confiar para vencer em um competidor que poderia superar ao menos metade de seus oponentes.

Qual é o tipo de golfista ideal para o Augusta National?

O Augusta National é um campo de tacadas de aproximação – basta pensar em tacadas famosas de Masters anteriores, como Bubba Watson no 10º buraco em 2012 ou Phil Mickelson batendo sobre palha de pinheiro para o 13º buraco na rodada final de 2010. Os jogadores precisam tirar vantagem dos par 5 alcançáveis, e isso vai muito além de manter a bola no green, mas principalmente manter a bola nas partes certas do green.

Augusta é um campo melhor para batedores que para putters, então o ideal é focar em jogadores com desempenho positivo no quesito tacadas ganhas, e fora do tee. Os últimos sete vencedores do torneio estavam classificados entre os 11 primeiros da estatística de Média de pontuação do PGA Tour no ano em que venceram. 

A importância de ganhar um paletó verde também não pode ser ignorada. Este é o maior evento do golfe e os jogadores precisam jogar bem sob pressão. Definitivamente, este não é o lugar para tentar interromper uma temporada sem vitórias, e 10 dos últimos 12 campeões também tinham vencido outro evento no decorrer dos 12 meses que antecederam sua vitória no Masters.

Bryson De Chambeau, Dustin Johnson, Justin Thomas, Jon Rahm, Webb Simpson, Viktor Hovland e Xander Schauffele todos se enquadram nos critérios mencionados para um vencedor do Masters, no entanto, os últimos dois não contam com experiência em campo, com idades de apenas 23 e 27 anos, respectivamente.

Previsões para o Masters de Golfe 2021: onde está o valor?

Justin Thomas       

No início do ano, sugeri que JT teria uma temporada de destaque. Não há como ele terminar sua carreira com apenas um Major em seu nome – sua vitória no PGA Championship foi conquistada em 2017 e ele precisa começar a lutar se quiser levar outro título para casa. No entanto, ele está chega para o Masters depois de um final de semana impressionante no The Players, onde conquistou a vitória sobre Lee Westwood por uma tacada.

Ele também se manteve muito popular no Masters, tendo sido classificado como T39 em 2016, T22 em 2017, T17 em 2018, T12 em 2019 e T4 em 2020. As distrações fora do campo parecem ter diminuído, seu guia está sob controle e conta com a maior média de birdies por rodada no PGA Tour este ano, com 5,18.

Patrick Cantlay

Cantley se classificou entre os 10 melhores quatro vezes, e conquistou um título esta temporada. Ele está classificado como o 10º melhor do mundo, à frente de Rory McIlroy, e conta com o dobro da probabilidade de levar o paletó verde. O swing desse golfista de 28 anos é um dos meus favoritos. Tive a oportunidade de vê-lo fazer um ângulo ao vivo no 15º buraco durante o Masters de 2019 e avançar para a liderança mas, infelizmente, ele não conseguiu bons resultados no 16º e no 17º. De qualquer modo, ele esteve à frente no Masters depois de 69 buracos no passado, ficando muito perto de levar o título.

Do ponto de vista estatístico, ele também é muito forte, cotado entre os 10 melhores em Tacadas ganhas: do tee ao green (1,338); Tacadas ganhas: em torno do green (,508), Média de birdies (4,68) e Média de pontos de 69,32. Patrick seria uma aposta secundária respeitável para líder da primeira rodada, já que mantém a menor média na abertura, segundo o PGA Tour (68,10).

Webb Simpson

Um jogador surpresa que preenche todos os meus requisitos. Esta será a 10ª participação de Webb no Masters e, apesar de ter demorado um pouco para pegar o jeito de jogar no Augusta National, ele carrega colocações finais em T10 e T5 nas suas duas últimas campanhas. Webb é um matador e, quando sente o cheiro da vitória, normalmente não sai de campo sem carregar o prêmio – como no ano passado, durante o Waste Management Open, em que ele arrancou o título debaixo do nariz de Tony Finau. Apesar disso, ele tem apenas um Major em seu nome e pode não parecer uma opção tão interessante, o que explica suas probabilidades elevadas.

Os azarões

Corey Conners

A única vitória do canadense no PGA Tour foi no Valero Texas Open, em que ele foi o primeiro tenista a se classificar em uma segunda-feira a levar o título. Nesta temporada, ele caminhou lenta, mas certamente, em direção a um terceiro lugar no The Arnold Palmer Invitational e um sétimo lugar no The Players Championships. Ele está na 12ª classificação em Tacadas ganhas: do tee ao green (1,243) e se classificou em T10 no Masters há apenas cinco meses. Conners vem jogando bem e vale a pena ficar de olho nele.

Louis Oosthuizen

O sul-africano ficou em segundo lugar no Masters 2012, perdendo para uma tacada especial de Bubba Watson (uma batida em ângulo da palha de pinheiro ao buraco do playoff). Ele fez oito de 12 cortes no Augusta e, nesta temporada, está listado entre os 11 melhores em Tacadas ganhas: total (1,577). Ele também tem o estilo de jogo curto perfeito para os gramados traiçoeiros do Augusta, listado entre os 10 melhores em Tacadas ganhas: em torno do green (,472) e Tacadas ganhas: putting (1,037).  Os swings de Louis são uma obra de arte e ele tentará de tudo para se juntar aos seus compatriotas Charl Schwartzel e Trevor Immelman como campeão do Masters.

Paul Casey

Os últimos dois jogadores europeus a levar o paletó verde foram Danny Willet e Sergio Garcia, e os dois levavam no bolso o título de campeões do Omega Dubai Desert Classic nos meses anteriores ao Masters. Isso nos leva a Paul Casey, um golfista consistente e que acaba de vencer o Dubai Desert Classic de 2021. Com quatro classificações entre os 10 primeiros no PGA este ano e um ótimo desempenho em campo (já ficou entre os seis primeiros no Masters três vezes), Paul poderia certamente merecer alguma atenção este ano.

Isso pode indicar o motivo pelo qual as campanhas recentes do Masters tem testemunhado mais sucesso por parte dos azarões que dos favoritos, ou mais especificamente, de jogadores de alta classificação. Dos últimos 10 campeões do Masters, sete não estavam classificados entre os 10 primeiros do ranking mundial na época do torneio, e o número um do mundo (atualmente Dustin Johnson) não fatura um paletó verde desde Tiger Woods em 2002.

Naturalmente, as probabilidades de um jogador ganhar automaticamente neste cenário simplesmente porque tem probabilidades mais longas não existem. No entanto, as vitórias de Patrick Reed em 2018 (cotado a 41,000 no fechamento), Sergio Garcia (31,000) no ano anterior e, principalmente, Danny Willett (101,000) em 2016 demonstram que, definitivamente, existe um incentivo para tentar buscar valor no mercado quando o assunto são apostas no Masters.

Você aposta em um dos favoritos para vencer ou tentará encontrar valor entre os azarões? Obtenha as probabilidades mais recentes para o golfe no Masters de Golfe 2021 com a Pinnacle.

Probabilidades sujeitas a alteração

Recursos de apostas - Capacitar as suas apostas

Os Recursos de apostas da Pinnacle são um dos conjuntos mais abrangentes de conselhos de especialistas sobre apostas que se podem encontrar online. Dar resposta a todos os níveis de experiência - o nosso objetivo é simplesmente capacitar os apostadores a obterem mais conhecimentos.