mai 12, 2021
mai 12, 2021

Elasticidade de preço da demanda e viés do favorito x tiro no escuro

O que é a elasticidade de preço da demanda?

Apostas e companhias aéreas

Elasticidade de preço da demanda e viés do favorito x tiro no escuro

O viés do favorito x tiro no escuro é um fenômeno muito discutido nos mercados de apostas. Este artigo explora se as diferenças na demanda por probabilidades de apostas mostradas por diferentes grupos de apostadores podem contribuir para esse viés.

O que é a elasticidade de preço da demanda?

A elasticidade de preço da demanda mede a variação no consumo de um produto em relação a uma variação no preço. Quanto mais elástica for a demanda, maior será a variação na quantidade de um produto demandado, movimentando o preço.

Por exemplo, para um produto com demanda elástica (por exemplo, pão) um aumento no preço causaria uma queda acentuada na quantidade do produto adquirido. Para um produto com demanda inelástica (o exemplo mais usado é a gasolina), um aumento semelhante no preço causaria uma queda muito menor na quantidade do bem demandado.

Isso faz sentido em um nível intuitivo, mas o que esse conceito poderia ter a ver com apostas?

Discriminação de preços: favoritos, hipóteses e companhias aéreas

O viés do favorito x tiro no escuro é um tópico muito discutido no mundo das apostas. Verificou-se que a maior parte da margem da casa de apostas recai sobre apostas improváveis.

Infere-se que parte desse fenômeno é causado por apostadores recreativos mais casuais, fazendo apostas improváveis em um determinado mercado, independentemente do preço. Enquanto isso, outros tipos de apostadores mais sensíveis ao preço tendem a buscar valor ao lado do favorito.

Esse comportamento é explicado pela elasticidade da demanda.

Um modelo de negócios semelhante, com dois grupos diferentes de clientes, pode ser encontrado no setor da aviação civil. As companhias aéreas tentam maximizar a receita vendendo passagens a preços diferentes para seus principais clientes.

Viajantes recreativos são muito sensíveis ao preço. Se as passagens forem muito caras, eles optarão por voar em uma data diferente, para um destino diferente, em uma companhia aérea diferente ou simplesmente não voar. Para esse grupo de clientes, as passagens aéreas são um produto com procura muito elástica.

Por outro lado, o outro principal grupo de clientes de uma companhia aérea se comporta de maneira bastante diferente. Para viajantes a negócios, a economia de tempo é geralmente mais importante que a oportunidade de uma viagem barata. Eles reservam com pouca antecedência e por períodos de tempo fixos (eventos, conferências etc.), preferindo voar em horários convenientes em datas convenientes, independentemente do custo. Este é um exemplo de demanda fortemente inelástica. É improvável que uma mudança no preço de um voo altere significativamente o comportamento desse cliente.

Para maximizar a receita dos dois grupos de clientes, as companhias aéreas encontraram uma boa solução. Elas cobram um preço menor quanto mais cedo você reservar sua passagem. Os clientes com a curva de demanda mais elástica farão reservas com antecedência, pois podem ser flexíveis nas datas.

À medida que os assentos são vendidos e a data do voo se aproxima, a companhia aérea aumenta os preços. Os viajantes a negócios que fazem reservas no curto prazo pagam mais pela conveniência de selecionar seus horário e data ideais no curto prazo. Sua curva de demanda é inelástica e, portanto, é improvável que um aumento no preço altere seu comportamento.

A companhia aérea essencialmente divide seu mercado em dois. O mercado A é destinado ao viajante recreativo, enquanto o mercado B serve ao viajante a negócios.

inarticle-elasticity.jpg

Quando se trata do viés do favorito x tiro no escuro, é possível que as casas de apostas estejam se comportando de maneira semelhante.

Nesse caso, o Mercado A (os viajantes recreativos, no exemplo da companhia aérea) seriam os apostadores mais orientados ao valor. Como os viajantes recreativos, esse tipo de apostador é muito sensível ao preço. Eles vão apostar nas melhores probabilidades disponíveis, independentemente da casa de apostas e, se não virem nenhum valor em oferta, poderão simplesmente optar por não apostar.

O Mercado B (os viajantes a negócios da companhia aérea) são os apostadores recreativos, muito menos sensíveis ao preço. Eles apostarão onde acharem mais conveniente, possivelmente atraídos por fatores como a facilidade de uso do site de uma casa de apostas, e geralmente escolherão apostar independentemente das probabilidades oferecidas em outro lugar.

Para esses clientes, as casas de apostas são substitutos perfeitos entre si de uma forma ainda mais forte que as companhias aéreas são substitutas perfeitos para o viajante recreativo (já que as companhias aéreas podem diferir mais fortemente no serviço).

Se a casa de apostas pretende maximizar sua receita, o desafio a ser enfrentado será bastante semelhante ao das companhias aéreas. A casa de apostas desejará que ambos os segmentos de mercado apostem em um evento sempre que possível. Da mesma forma que o Mercado B subsidia as passagens aéreas do Mercado A, é possível que os apostadores recreativos financiem uma margem inferior para os clientes mais sensíveis ao preço.

Quando o viés do favorito x tiro no escuro está presente em um mercado, é possível que sua existência se deva ao fato de a casa de apostas oferecer probabilidades semelhantes à maneira como as companhias aéreas maximizam a receita das vendas de passagens.

Se a casa de apostas está de fato estabelecendo seus preços dessa forma, isso sugere que os apostadores recreativos geralmente favorecem a aposta improvável (o tiro no escuro), independentemente do preço, enquanto uma margem inferior é oferecida ao favorito para atrair apostadores de valor.

Fornecimento ilimitado e fluxos de informação: por que as casas de apostas limitam seus clientes

Uma diferença fundamental entre os produtos oferecidos pelas companhias aéreas e pelas casas de apostas é que o fornecimento oferecido pela companhia aérea é fixo. Elas podem vender apenas a quantidade de passagens disponíveis no avião. As casas de apostas, por outro lado, podem fornecer uma oferta ilimitada. Enquanto houver demanda para um mercado, elas podem realizar quantas apostas quiserem.

Da mesma forma, os clientes mais sensíveis ao preço da casa de apostas apostarão apenas se esperarem lucrar às custas da casa de apostas.

As companhias aéreas podem ter prejuízo com alguns de seus passageiros sensíveis a preços para preencher um avião. Afinal, alguma receita é melhor do que a perda de um assento vazio. Para a casa de apostas, se os clientes do Mercado B puderem calcular os preços com precisão na medida em que possam obter lucro de forma consistente, seja por arbitragem ou aposta de valor, a casa de apostas terá uma perda para o cliente aparentemente sem benefício para a própria casa de apostas.

O mercado de apostas ainda funcionaria com a participação dos clientes menos sensíveis, independentemente da participação dos clientes mais experientes e sensíveis ao preço. Em comparação, qualquer um dos assentos pouco lucrativos em um avião ainda contribui para o custo total do voo. Principalmente quando comparado à alternativa de ter assentos vazios.

É por isso que as casas de apostas geralmente limitam ou proíbem os clientes mais experientes com curvas de demanda elásticas. Eles representam uma perda nos lucros e, uma vez que a casa de apostas pode diferenciar entre os clientes do Mercado A e do Mercado B, fica bastante simples impor restrições aos clientes do Mercado B, que são uma ameaça ao lucro da casa de apostas. Eles não trazem nada para a mesa do ponto de vista da casa de apostas.

A Pinnacle, no entanto, não proíbe ou limita esses apostadores. Para a Pinnacle, a informação transmitida pelas apostas de clientes altamente sensíveis ao preço é um pagamento em si. Ela permite um ajuste de linhas mais preciso.

Isso permite uma configuração de probabilidades mais exata, obtendo mais receita dos clientes do Mercado A. Isso também significa uma maximização da receita oferecida por apostadores do Mercado B, os menos qualificados. Como a Pinnacle costuma ser uma das poucas opções para esses apostadores e não há muitas outras casas de apostas semelhantes para substitui-la, pode atingir um volume muito alto nesse segmento de mercado.

Volatilidade: por que apostadores experientes preferem probabilidades curtas?

Uma questão ainda sem resposta é: por que os apostadores mais experientes do Mercado B preferem probabilidades mais curtas a chances remotas?

Uma possibilidade é que o aumento da volatilidade causado pelas apostas em eventos tão improváveis torna muito difícil medir o sucesso. Com eventos que ocorrem com mais frequência, é mais fácil atingir um tamanho de amostra significativo o suficiente para demonstrar a lucratividade a longo prazo.

Da mesma forma, uma casa de apostas deverá usar de alguma cautela para não avaliar erroneamente um evento improvável, já que o pagamento potencial na hipótese de um erro pode ser muito alto. Nesse caso, pode ser que os apostadores mais experientes não prefiram os favoritos, eles estão simplesmente sendo conduzidos para a opção mais provável pelo preço conservador da casa de apostas.

Também pode ser o caso de os apostadores do Mercado A simplesmente desfrutarem da emoção das apostas de improváveis. Esses apostadores estão apostando principalmente por diversão e não por lucratividade (se eles próprios estão cientes disso, é algo discutível), então isso faz algum sentido.

Afinal, transformar € 100 euros em € 1.000 parece mais divertido que transformar € 100 euros em € 110, puramente do ponto de vista do entretenimento.

Recursos de apostas - Capacitar as suas apostas

Os Recursos de apostas da Pinnacle são um dos conjuntos mais abrangentes de conselhos de especialistas sobre apostas que se podem encontrar online. Dar resposta a todos os níveis de experiência - o nosso objetivo é simplesmente capacitar os apostadores a obterem mais conhecimentos.