abr 16, 2020
abr 16, 2020

Heurística e apostas

Heurística – Regras básicas

Tipos comuns de heurística

Falácia da mão quente

Heurística e apostas

Muitos jogadores seguem seu instinto de apostar sem perceber que confiar em regras práticas prontas, conhecidas na psicologia como heurísticas, pode levar a más decisões. Continue lendo para descobrir quais são as heurísticas mais comuns e como evitá-las.

Há um bom motivo pelo qual confiamos na heurística: a evolução. Nossos antepassados, quando confrontados com problemas complexos que ofereciam risco de vida, não tinham tempo de avaliar a situação, então desenvolveram métodos mais rápidos. Aqueles que funcionaram foram passados de geração a geração e ainda contamos com eles, mesmo quando não deveríamos.

Apresentando as heurísticas comuns

  • Ancoragem

A ancoragem afeta a capacidade das pessoas de estimar o número mais provável de itens de um determinado tipo ou o valor mais provável ao longo de uma sequência.

Exemplo: pede-se a um grupo que adivinhe a porcentagem de países africanos nas Nações Unidas. Antes de responder, eles assistem a um processo aleatório que produz um número (a âncora) e são questionados se a porcentagem de nações africanas está acima ou abaixo dessa âncora. Em seguida, eles criam uma estimativa real dos países africanos nas Nações Unidas. As estimativas fornecidas usarão como referência a âncora, mesmo que os participantes saibam que ela é aleatória.

Sem perceber, os indivíduos estão ancorando as estimativas em um ponto totalmente arbitrário. Acredita-se que a razão disso seja porque a âncora considerada uma hipótese de trabalho, um ponto de partida do qual o indivíduo reluta em se afastar demais.

Esse fenômeno é amplamente explorado no marketing e é muito relevante para as apostas. Os apostadores devem tomar cuidado com as âncoras na formulação das apostas e perceber como handicaps e valores de spread influenciam os julgamentos, mesmo sem você perceber.

  • Viés de disponibilidade

O viés da disponibilidade em português, se manifesta na tendência das pessoas de atribuir maior significado aos eventos mais marcantes ou que são mais fáceis de lembrar.

"Do ponto de vista das apostas, tenha cuidado ao atribuir significado excessivo a resultados mais recentes ou memoráveis"

Exemplos disso incluem a maneira como as pessoas superestimam o risco associado a eventos dramáticos e traumáticos, como um ataque terrorista ou terremotos. A venda de seguro contra terremotos aumenta imediatamente após terremotos acontecerem, mesmo com o risco muito reduzido. Ao mesmo tempo, as pessoas estão dispostas a pagar muito mais por um seguro contra morte em um ato terrorista do que um seguro contra qualquer tipo de morte (que obviamente incluiria o terrorismo).

Do ponto de vista das apostas, tenha cuidado ao atribuir significado excessivo a resultados mais recentes ou memoráveis. Pergunte a si mesmo se é mais fácil lembrar de um empate 0x0 ou de um jogo com pontuação alta.

É provável que se lembre mais do último, mas isso não significa que ele seja o mais provável de se acontecer. No futebol, os apostadores tendem a superestimar a frequência de eventos como cartões vermelhos e escanteios, porque são importantes e facilmente lembrados. Isso afeta a probabilidade percebida e o comportamento de aposta.

Esse comportamento está ligado a um fenômeno comum entre apostadores que favorece os mercados com maiores pontuações, visto que o viés de disponibilidade os leva a concluir erroneamente que o evento em questão é mais provável de acontecer do que realmente é.

  • Diversificação

Essa heurística descreve como as pessoas tendem a demonstrar maior diversidade quando confrontadas com escolhas simultâneas em vez de sequenciais.

Exemplo: quando solicitados a escolher cinco chocolates em uma caixa com um número igual de variedades, os indivíduos fazem seleções mais diversas do que quando fazem cinco escolhas em sequência.

Em relação às apostas, os apostadores punter tendem a investir mais quando a oportunidade parece ser mais diversificada. Um bom exemplo seria apostar no empate e no time visitante baseado na percepção de uma aposta mais diversificada, em vez de simplesmente apostar no time da casa. Não há, no entanto, uma razão lógica para você apostar mais, a menos que o Valor Esperado seja maior.

  • Escalada de compromisso ou custo irrecuperável

Essa heurística descreve como as pessoas se sentem compelidas a justificar um compromisso, aumentando o investimento cumulativo, mesmo quando o custo potencial futuro supera o benefício potencial.

"As pessoas tendem a acreditar que sequências curtas de eventos aleatórios servem de referência para eventos mais longos"

Isso é comumente descrito como "investir novamente em mercadoria ruim". Um exemplo seria assistir até o fim um filme que você não está gostando, só porque já investiu tempo e dinheiro para assisti-lo e, portanto, está determinado a justificar esse investimento.

Do ponto de vista das apostas, isso pode ser visto quando os apostadores persistem em uma aposta que tem alta probabilidade de incorrer em um grande custo, em vez de sofrer perda imediata, mas menor. Pessoas nessas situações tendem a exibir uma determinação irracional para justificar a decisão original, em vez de evitar mais perdas.

  • Representatividade ou A Falácia dos Jogadores

As pessoas tendem a acreditar que sequências curtas de eventos aleatórios servem de referência para eventos mais longos, ignorando o fato de que esses eventos são estatisticamente independentes.

Exemplo: a falácia do jogador também é conhecida como "A Falácia de Monte Carlo", porque em 1913 a cor preta apareceu 26 vezes seguidas em uma mesa de roleta no cassino de Monte Carlo. Após o 15º número preto, os apostadores começaram a investir na cor vermelha, supondo que as chances de surgir outro número preto seriam astronômicas, ilustrando assim uma crença irracional de que um giro da roleta de alguma forma influencia o próximo.

A falácia do jogador está intimamente relacionada à Falácia da Mão Quente que é a crença em marés de boa/má sorte. Quando alguém experiencia o que parece ser uma sequência atípica de eventos, essa pessoa infere que há algum significado especial nisso, ou seja, uma maré de sorte ou de azar.

O nome ficou conhecido como a "Falácia da Mão Quente" depois que um estudo na década de 1980 sugeriu que um jogador de basquete que faz um arremesso com sucesso não tem mais probabilidade de ter sucesso no próximo arremesso apenas devido ao sucesso inicial.

Isso é particularmente relevante em apostas de jogos de azar aleatórios, como roleta, loterias e jogos de dados.

Os humanos não são máquinas, tentamos ser racionais, mas nossos instintos costumam atrapalhar. Isso pode custar caro para os jogadores, então ignore tanto quanto possível o que seu instinto está dizendo, a menos que seja hora de almoçar.

Se este artigo despertou algo em você, recomendamos a leitura adicional de Daniel Kahneman e (o falecido) Amos Tversky. A dupla é amplamente reconhecida pelo trabalho inovador no campo de viés cognitivo e Kanheman ganhou o Prêmio Nobel de Economia em 2002, apesar de não ser economista.

O best-seller "Rápido e devagar – Duas formas de pensar" resume muito do trabalho dele e abrirá os olhos de qualquer pessoa interessada em como as pessoas lidam com a tomada de decisões baseadas em risco sob incerteza, que é exatamente o que é apostar.

Se você gostou deste conteúdo, poderá se interessar também pelos artigos sobre psicologia de apostas da Pinnacle.

Recursos de apostas - Capacitar as suas apostas

Os Recursos de apostas da Pinnacle são um dos conjuntos mais abrangentes de conselhos de especialistas sobre apostas que se podem encontrar online. Dar resposta a todos os níveis de experiência - o nosso objetivo é simplesmente capacitar os apostadores a obterem mais conhecimentos.